Valor poderá ser utilizado pela Vale e algumas de suas subsidiárias em qualquer momento da vida útil do instrumento.

A Vale anunciou na sexta-feira, 9, a efetivação de uma nova linha sindicalizada de crédito rotativo (revolving credit facility) no valor de US$ 2 bilhões, com prazo de cinco anos. Com isso, a empresa ganha um significativo colchão de liquidez, além de maior eficiência da gestão do caixa.

A nova contratação substituirá a linha de US$ 2 bilhões, contratada em 2013, que será cancelada. A Vale conta ainda com outra linha no valor de US$ 3 bilhões, totalizando assim US$ 5 bilhões em linhas de crédito rotativo. Segundo informou a mineradora por meio de um comunicado, “este instrumento representa uma fonte adicional de liquidez e pode ser utilizado pela Vale e algumas de suas subsidiárias em qualquer momento da vida útil do instrumento (US$ 2 bilhões até 2022 e US$ 3 bilhões até 2020)”.

A linha foi contratada em um sindicato composto por 18 bancos globais, liderados por Citibank, Crédit Agricole RBC Capital Markets e The Bank of Nova Scotia. Fazem parte também deste sindicato ABN AMRO, Bank of Montreal, Deutsche, Mizuho, Sumitomo, UniCredit Bank, HSBC, Industrial and Commercial Bank of China, JPMorgan, Société Générale, Standard Chartered, BNP Paribas, The Bank of Tokyo-Mitsubishi UFJ, e Natixis.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui