BDMG abre crédito para empresas de cidades atingidas por rompimento

0
3146
Palestra realizada em Mariana contou com a participação de centenas de pessoas e representantes de entidades empresariais - Foto: Fundação Renova

Trabalho está sendo realizado em parceria com Fundação Renova com o objetivo de fortalecer pequenos negócios e reativar a economia dessas localidades.

Equipes do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), instituição ligada ao Governo de Minas Gerais, estarão em Governador Valadares (22/6) e Aimorés (23/6) para ouvir as comunidades e oferecer linhas de crédito (capital de giro) atraentes para micro e pequenas empresas.

O banco está percorrendo as cidades que foram atingidas pela barragem de Fundão na tragédia de novembro de 2015 com o objetivo de fortalecer pequenos negócios e reativar a economia dessas localidades. Barra Longa, Rio Doce, Mariana e Santa Cruz do Escalvado já receberam a visita. Conforme o BDMG, a meta do Banco é oferecer crédito com juros mais baixos e prazos mais longos, independentemente de a empresa atuar ou não como fornecedora da Renova.

O trabalho está sendo realizado em parceria com outras entidades, entre elas a Fundação Renova, que tem capacitado e cadastrado possíveis fornecedores para executar trabalhos de reparação nas cidades impactadas pelos danos causados pela barragem.

De acordo com a Fundação, no último evento, realizado em Mariana, mais de 300 pessoas assistiram palestras e tiraram dúvidas em relação ao processo de cadastramento.

O gerente geral de micro e pequenas empresas do BDMG, Rodrigo Neves explica que “os empresários estão engajados, dispostos a cumprir as etapas e melhorar o seu negócio. O principal desafio é qualificação da mão de obra e o treinamento do empresariado”. A expectativa apontada pelo Banco prevê que o trabalho de reconstrução desenvolvido pela Renova deve movimentar R$ 4,6 bilhões em Minas Gerais até 2020 e precisará de empresas locais preparadas para atender à demanda de produtos e serviços. Pelo menos 3,8 mil empregos serão gerados na região de Bento Rodrigues a Santa Cruz do Escalvado.

“A nossa expectativa é que, por meio do estímulo à contratação local, sejam gerados novos empregos, diminuindo assim o alto índice de desemprego e dando um alívio à economia”, afirma Geraldo Carvalho, presidente da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Mariana (Aciam). Ele acredita que a região conta com empresas de diversos ramos de atividade capazes de atender as demandas da Renova.

No plano da Renova, a meta é utilizar 70% da mão de obra da própria região, além de destinar 50% do valor investido em contratações de empresas locais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui