Programa Avançar pretende concluir cerca de sete mil empreendimentos até 2018; R$ 170 bi serão investidos pela petrolífera em infraestrutura, enquanto R$ 130 bi serão destinados pela União para geração de energias renováveis e outras áreas.

Nesta quinta-feira (9), o Ministério de Minas e Energia (MME) lançou o programa “Agora, é avançar”, que tem como objetivo estimular a produção energética do Brasil, além de impulsionar a indústria de petróleo e gás, e a infraestrutura logística.

O projeto terá um investimento de aproximadamente R$ 130 bilhões para concluir cerca de sete mil empreendimentos até o final de 2018, gerando mais eficiência produtiva, trabalho e renda para os brasileiros.

Parte do que está planejado na agenda do programa já pertencia ao Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) desenvolvido durante o governo PT, a comando dos ex-presidentes Lula e, posteriormente, Dilma Rousseff. O PAC previa um investimento de R$ 28,4 bilhões entre 2015 e 2018, e mais R$ 12,9 bilhões pós–2018, com obras voltadas para a infraestrutura, como a construção de rodovias, habitação e melhorias no transporte e energia.

De acordo com o MME, para sua concretização, o programa foi dividido em três eixos. O “Avançar Energia”, que contará com investimentos de mais de R$ 58 bilhões e 97 projetos, o “Avançar”, que tem um orçamento de R$ 42 bilhões e mais seis mil empreendimentos participantes, e o “Avançar Cidades” que deve receber R$ 29,9 bilhões da Caixa Econômica e do FGTS para 1.109 projetos

Para o setor de Petróleo e Gás, o programa prevê a criação de sete plataformas, quatro navios e um gasoduto. O investimento para esses projetos está estimado em mais de R$ 170 bilhões, sendo R$ 45 bilhões investidos até o final de 2018. De acordo com o Ministério de Minas e Energia, esses investimentos serão feitos pela Petrobras.

Já para a energia elétrica, estão designados 28 empreendimentos de transmissão e 58 usinas para produção de energia, sendo todos voltados para energias renováveis. “Os investimentos energéticos serão feitos com o Orçamento Geral da União (OGU) e serão executados diretamente pela Agência Nacional de Petróleo e Gás (ANP), pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e por distribuidoras de energia”, explica o MME em texto de divulgação.

Estão previstas para receber um investimento de R$ 25 bilhões 26 usinas eólicas, 29 usinas fotovoltaicas, e três usinas hidroelétricas. De acordo com a autarquia, R$ 13 bilhões deste valor devem ser aplicados até o final de 2018. O programa também coloca em pauta a ampliação do projeto Luz para Todos, que pretende beneficiar mais de 200 mil pessoas até 2018.

“Já contratamos até agora mais de R$ 100 bilhões em investimento para os próximos anos em participações e lucros. Nessas explorações, o Estado brasileiro terá mais de R$ 600 bilhões de reais durante os 30 anos. Estamos falando de aproximadamente mais de 500 mil empregos”, afirmou o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho, durante evento de inauguração do Avançar.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui