Presidência da empresa espera recuperação da economia do país para retomar a atividades da unidade.

As atividades da unidade de Cubatão (SP) da Usiminas estão suspensas desde janeiro de 2016 e, segundo o presidente da companhia siderúrgica, Sérgio Leite, a paralisação deve durar mais três anos. A suspensão é devida às dívidas que empresa acumula desde 2015.

Segundo Leite, a retomada depende da economia brasileira, mas ele acredita que isso não deve ocorrer pelo menos até 2020. O executivo afirmou que a empresa está focada nas atividades em Ipatinga (MG), onde pretende voltar com seus altos-fornos.

O presidente da empresa afirmou ainda que a Usiminas Mecânica é a unidade que mais passa por dificuldades dentro da companhia. Ela atua no segmento de bens de capital, onde a Usiminas mais sentiu os efeitos da crise econômica. A unidade atualmente opera em 15% de sua capacidade, mas, segundo Leite, está equilibrada em termos de Ebitda.
Musa

Neste ano, a Usiminas retomou as duas unidades voltadas para a produção de minério de ferro. O executivo afirmou que a atividade de mineração da companhia deve gerar seis milhões de toneladas de minério no próximo ano. Deste valor, 3,5 milhões serão destinados à exportação e os demais 2,5 milhões para uso interno da empresa.

No terceiro trimestre de 2017, as vendas atingiram a marca de 904 mil toneladas, com um crescimento de 14%. O presidente da Usiminas disse que hoje não há estudo para a venda da Mineração Usiminas (Musa) e que no atual patamar de preço de aço a companhia opera acima do breakeven (ponto de equilíbrio financeiro).

*Com informações do Estadão Conteúdo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui