Leilão promovido pelo governo de Serra Leoa carrega simbolismo histórico do fim da era dos “diamantes de sangue”; no passado, as pedras eram vendidas para financiar conflitos armados.

Um dos maiores diamantes do mundo foi leiloado pelo governo de Serra Leoa nesta segunda-feira (5), pelo valor de US$ 6,53 milhões, o que equivale a R$ 21 milhões. De acordo com informações da Agência France-Presse (AFP), o comprador é o joalheiro britânico Laurence Graff.

A pedra tem 709 quilates e é a maior descoberta no país africano nos últimos 50 anos. Segundo especialistas, o material valioso está entre o 10º e o 15º maior diamante já conhecido no mundo. O diamante foi encontrado em março deste ano por uma companhia dirigida pelo pastor evangélico Momoh, que o entregou ao governo com o objetivo de poder organizar a venda, afim de obter mais lucros e financiar um potencial desenvolvimento em Serra Leoa.

Segundo a AFP, o arremate foi feito no segundo leilão. Durante o primeiro, realizado abril, o preço foi superior ao proposto no último evento, de US$ 7,1 milhões.

“Diamantes de sangue”

Em entrevista à AFP, o presidente de Serra Leoa, Ernest Bai Koroma, lembrou que a mineração ilegal e a venda de diamantes – chamados de “diamantes de sangue” foram os principais motivos de conflito em alguns países africanos.

No passado, as pedras eram vendidas para financiar milícias do governo que atuavam em conflitos armados e guerras civis, enquanto a população perecia com a pobreza. O assunto rendeu roteiro ao filme hollywoodiano “Diamante de Sangue”, produzido em 2006. A história fictícia é baseada no contrabando dos diamantes em Serra Leoa.

Com informações da Agência France-Presse.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui