Enquanto Tesla lança caminhões elétricos e autônomos, empresas como a Caterpillar já integram essa tecnologia no mercado.

Para alcançar o futuro, autonomia e eletricidade são palavras-chave. A inovação tecnológica não se restringe apenas a computadores, mas tem chegado com total força na logística industrial, com destaque especial para o mercado mineral. Um exemplo que tem se tornado realidade, são os caminhões elétricos e autônomos, fabricados e utilizados para otimizar a produção no setor.

No mês de novembro, a empresa Tesla anunciou seu primeiro caminhão elétrico, o Tesla Semi, que terá autonomia de até 800 km e contará com a função de piloto automático. A intenção é que ele comece a ser vendido em larga escala daqui a dois anos, e tudo indica que a demanda será alta.

Futuro autônomo

Além de economizar combustível e serem ecologicamente corretos, veículos elétricos e autônomos podem reduzir os custos de produção de mineradoras, acelerar o processo logístico e proporcionar uma segurança maior, tanto para a operação propriamente dita, quanto para os trabalhadores.

Atualmente, o mercado já conta com caminhões autônomos, que têm feito parte da indústria mineral. A empresa Caterpillar (Cat) é uma das responsáveis em inserir modelos do tipo no mercado. No mês de setembro, a companhia forneceu 10 caminhões autônomos para a mineradora Fortescue Metals para operações minerais da região de Pilbara, na Austrália Ocidental. “Por questão de confidencialidade, podemos apenas informar que temos, na América do Sul, clientes utilizando Cat Command em operações de produção”, afirmou a empresa Caterpillar.

Segundo texto divulgado pela Cat, os caminhões autônomos funcionam com um sistema de controle que as informa para onde ir e o que fazer.

Os sistemas de inteligência a bordo permitem que esses veículos “decidam” como navegar para a área de trabalho definida e realizar as tarefas atribuídas.

“Por exemplo, um caminhão de transporte autônomo pode seguir uma faixa atribuída por um mapa da mina em constante alteração ou escolher o melhor percurso a partir de onde está localizado atualmente para onde o centro de controle da mina lhe informa para ir”, explica o artigo.

Caminhão autônomo de mina Cat 793F – Divulgação Caterpillar.

De acordo com a Caterpillar, o caminhão autônomo possibilita atividades em momentos onde não seria possível ir com um motorista, como em pausas de almoço, ou trocas de turno. Nas palavras da empresa, o veículo poupa desgaste e melhora a disponibilidade.

“Se algo der errado, ele alertará o departamento de serviço da mina de imediato e fornecerá informações instantâneas de diagnóstico, ajudando a reduzir o tempo de inatividade total (…) O resultado de ter caminhões autônomos é uma mina mais segura de um modo global, junto com uma operação de transporte mais previsível, mais eficiente e mais produtiva”, explica.

Tesla Semi

O Tesla Semi é o nome do caminhão elétrico anunciado por Elon Musk. Ele tem visual futurista e promete rodar até 800 quilômetros sem a necessidade de realizar uma nova recarga na bateria do veículo. Isso, informa a Tesla, pode ser feito mesmo com cargas de até 36 toneladas em sua traseira.

Elon Musk, CEO da Tesla e idealizador do projeto, afirmou que, com as reduções de custos, o veículo se pagaria em um período de dois anos. “Ele não é como qualquer outro caminhão que você já tenha dirigido”, disse Musk no anúncio do Tesla Semi.

Interior Tesla Semi – Divulgação Tesla.

O caminhão conta com quatro motores elétricos para aceleração. De acordo com a montadora, mesmo sendo um veículo grande, ele ainda apresenta um consumo de energia por quilômetro rodado baixo.

Musk disse, ainda, que a Tesla pretende iniciar a produção em grande escala do caminhão em até dois anos. Sobre o valor que o veículo chegará ao consumidor, ainda não há muitas informações, mas analistas calculam que ele deve chegar a US$ 100 mil.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui