Segundo Instituto Aço Brasil, os resultados positivos foram influenciados pela Companhia Siderúrgica do Pecém.

A produção nacional de aço bruto entre os meses de janeiro a novembro de 2017 alcançou a marca de 31,5 milhões de toneladas, apresentando um aumento de 9,1% em relação ao mesmo período de 2016. As informações são do Instituto Aço Brasil.

De acordo com a entidade, ao longo do ano a produção de laminados foi de 20,6 milhões de toneladas, valor que aponta uma alta de 5,8% comparando com os mesmos meses do ano passado. Já as vendas internas foram de 15,5 milhões de toneladas no mesmo período, um aumento de 1,4% na mesma base de comparação.

O consumo interno de produtos siderúrgicos no geral foi de 17,6 milhões de toneladas, uma alta de 4,8% em relação ao comparativo. As importações também apresentaram expansão, tendo subido 30,1% no acumulado até novembro, com 2,2 milhões de toneladas que totalizaram US$ 2,1 bilhões.

No caso das exportações, a alta foi menor, mas ainda significativa. Foram 13,9 milhões de toneladas exportadas, no valor de US$ 7,2 no acumulado do período, resultando em uma expansão de 14,3% em volume e de 42,9% em valor monetário.

Para o Instituto Aço Brasil, os números positivos na exportação se devem, em especial, ao fato de a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) ter iniciado suas operações somente no segundo semestre de 2016.

“Por isso, a inexistência de dados da CSP no primeiro semestre de 2016 mantém a base de comparação baixa em relação ao período de 2017, criando distorções que vão desaparecer somente a partir de janeiro de 2018”, afirmou a instituição.

Novembro

Durante o mês de novembro, a produção nacional de aço bruto cresceu 15,3% em relação ao comparativo de 2016, totalizando três milhões de toneladas. A produção de laminados foi de dois milhões de toneladas, uma alta de 11,9% comparando ao mesmo mês do ano passado.

O consumo aparente teve alta de 4,1%, com 1,6 milhão de toneladas em novembro. Já as vendas internas cresceram 6,7%, totalizando 1,4 milhão de toneladas.

As importações, no entanto, apresentaram uma queda de quantidade 27,2% quando comparadas à novembro de 2016, com 166 mil toneladas. Porém, o resultado em valor monetário foi positivo, com uma alta de 2,9%, alcançando US$ 177 milhões.

No caso das exportações, o saldo também foi positivo. Foram 1,3 milhão de toneladas exportadas, gerando US$ 757 milhões, o que representa uma alta de 14,1% em volume e de 55,1% em valor na mesma base de comparação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui