País asiático divulgou projeto cujo objetivo é de que essas fontes representem 20% da malha energética nacional até 2030.

O Ministério de Minas e Energia da Coreia do Sul finalizou um plano de fornecimento de energia que visa priorizar as fontes renováveis, como sol e vento, para a geração de energia nos próximos 15 anos.

O plano foi semelhante a um rascunho divulgado no início do mês, que projeta reduzir gradualmente o uso do carvão e abastecimento nuclear, à medida que aumentaria o uso de gás e energias renováveis.

“Planejamos realizar a mudança de política energética do país sem problemas com base no esboço do plano”, informou o ministério sul-coreano, por meio de comunicado.

De acordo com o texto, o planejamento da Coreia do Sul é que, até 2030, 20% de seu consumo total de eletricidade seja por meio de fontes renováveis. Para atingir esse objetivo, o país asiático planeja aumentar sua capacidade instalada de energia renovável dos atuais 11,3 gigawatts (GW) para 58,5 GW até 2030.

Na última semana, a pasta informou que o plano exigia o incremento de 30,8 GW de capacidade de geração de energia solar e 16,5 GW de capacidade de energia eólica.

Diversificação

Atualmente, a Coreia do Sul gera mais de 70% de sua energia por meio do carvão ou de fontes nucleares, enquanto que as renováveis representam apenas 6% da malha energética do país. Com a execução do plano, a geração por carvão cairá para 36,1% em 2030 e a nuclear para 23,9%.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui