Marca coloca o país entre os 30 no mundo que produzem mais de 1 GW.

O Brasil ultrapassou, logo no início deste ano, a marca de 1 gigawatt (GW) em projetos de geração de energia solar fotovoltaica. A informação foi divulgada pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), entidade que representa o setor. Segundo a organização, a potência é suficiente para abastecer 500 mil residências no país, por meio de energia renovável, limpa, sustentável e competitiva capaz para atender o consumo de 2 milhões de brasileiros.

De acordo com a Absolar, apenas 30 dos 195 países do mundo possuem mais de 1 GW de fonte solar. O resultado vem do crescimento dos mercados de geração desse tipo de energia centralizada e distribuída em 2017, conforme explica o presidente executivo da Absolar, Rodrigo Sauaia.

“Na geração centralizada, contamos com a inauguração de grandes usinas solares fotovoltaicas contratadas pelo governo federal em leilões de energia elétrica realizados em 2014 e 2015”, destacou. As usinas em funcionamento estão localizadas principalmente em estados como Bahia, Piauí, Minas Gerais, Rio Grande do Norte e Pernambuco, representando uma potência total de 0,935 GW.

“Na geração distribuída, registramos forte crescimento no uso pela população, empresas e governos de sistemas fotovoltaicos em residências, comércios, indústrias, prédios públicos e na zona rural, em todas as regiões do país, resultando em uma potência total de 0,164 GW”, acrescentou Sauaia.

Para ele, o marco histórico mostra que o setor deve continuar em ascensão ao longo do ano. O presidente executivo da Absolar acredita que o Brasil tem um potencial muito maior de geração, que ainda não está totalmente aproveitado.

“Precisamos de um programa nacional estruturado para acelerar o desenvolvimento da energia solar fotovoltaica. Esta oportunidade precisa entrar na pauta dos governos, políticos e candidatos, especialmente em um ano de eleições como o de 2018″, conclui.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui