Ação ocorreria somente durante os períodos de inverno para diminuir a poluição.

A província de Hebei, na China, contradisse as notícias de que ampliaria cortes de produção de aço impostos no inverno. De acordo com informações da agência Reuters, o governo local, líder de produção de aço, publicou um comunicado na sua conta da rede social Weibo, negando os relatos da mídia local sobre a prorrogação das restrições às usinas de aço até maio.

“O governo da província de Hebei e a agência de administração da poluição do ar nunca pediram por uma extensão. Hebei vai seguir estritamente as restrições de produção definidas pelo governo central”, informa o texto.

Pequim decretou limites à produção de aço no inverno, entre os meses de novembro e março, para combater a poluição do ar. A ordem era das usinas cortarem até 50% da produção.

Três fontes, em anonimato, falaram à agência de notícias Reuters, que a cidade da província de Hebei, Tangshan, estuda prolongar os cortes para até depois do inverno. Ela é a maior produtora de aço na província.

Hebei produziu 191 milhões de toneladas de aço bruto em 2017. Esse valor corresponde a 12% do total de produção na China. Tangshan é responsável por mais de 50% dessa produção e ultrapassa a fabricação nos EUA.

A cidade está entre as dez mais afetadas pela poluição no país. Um porta-voz do governo de Tangshan não quis comentar sobre o plano e informou que não irá obedecer às regras ambientais. O Ministério de Proteção ao Ambiente não respondeu aos questionamentos da Reuters.

Com informações da Reuters.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui