Cidade mineira é a primeira a receber a ação em parceria com startup.

A Gerdau deu início às atividades do programa Bioenergia Social, que tem o objetivo de reduzir os impactos ambientais provocados pelo descarte incorreto do óleo de cozinha. Em parceria com a startup Bchem Biocombustíveis, a empresa transforma o material em energia renovável.

O lançamento foi no dia 19 de março em Ouro Branco (MG) e, além da iniciativa de transformar energia renovável, outro intuito é orientar a população sobre problemas causados pelo descarte incorreto do óleo, gerar emprego e renda.

Foto: Gerdau/ Divulgação.

De acordo com a empresa as cidades mineiras que recebem o programa no primeiro momento são Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Itabirito, Moeda, Ouro Branco e Ouro Preto. Depois, expandirá para Belo Vale, Mariana e Santana do Paraopeba.

Etapas

Em sua primeira fase o Bionergia Social desenvolverá uma série de atividades educacionais com a comunidade. Escolas, estabelecimentos comercias, associações e outras entidades irão receber palestras sobre os problemas que o descarte incorreto pode provocar, como entupimentos e altos níveis de poluição.

Os estabelecimentos interessados poderão se cadastrar  por meio da página no Facebook. Os inscritos receberão gratuitamente um coletor de óleo e se tornarão ponto de coleta para a população. O recolhimento do óleo será realizado de forma gratuita pela startup.

Na segunda etapa, com previsão de início no segundo semestre de 2018, será o início da produção do biocombustível, por meio de processo inovador que não gera resíduos. Após a validação do produto ele será utilizado em equipamentos.

Dados

A estimativa de produção de óleo de soja no país para 2018 é de 8,5 milhões de toneladas, de acordo com informações da Associação Brasileira de Óleos Vegetais (Abiove). Desse total menos de 1% é reciclado.

A cada litro de óleo despejado diretamente no meio ambiente contamina até 25 mil litros de água. No processo de tratamento de água para consumo, o descarte incorreto do óleo representa um aumento em até 45% do custo.

Sobre a Bchem Biocombustíveis

É uma startup criada a partir de pesquisas desenvolvidas em laboratórios da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em parceria com a Universidade de Itaúna.

Integrante do Programa Acelera Mestrado e Doutorado da FIEMG Lab, a empresa trabalha, há dez anos, em projetos de desenvolvimento de tecnologias para reaproveitamento de óleos vegetais. Como resultado das soluções que disponibiliza para o mercado, eleva a sustentabilidade técnica, econômica e ambiental de grandes empresas.

*Sob supervisão de Sara Lira

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui