Fórum debate energia renovável no Brasil e em países árabes

0
1728
Fórum econômico entre Brasil e países árabes. Foto: Secretaria de Energia e Mineração de São Paulo.

Sob o tema Construindo o Futuro, o encontro reuniu representantes de governos, lideranças empresariais e especialistas das duas regiões para discutir oportunidades de negócios e parcerias em áreas consideradas prioritárias.

Discutir o cenário energético e tecnológico no Brasil e propor parcerias em nações árabes. Esses foram alguns dos objetivos do Fórum Econômico Brasil – Países Árabes, que debateu outros aspectos econômicos e financeiros como turismo e agronegócio. Realizado em São Paulo nesta segunda-feira (2), o evento atraiu autoridades árabes e brasileiras, incluindo o presidente Michel Temer.

O Fórum foi organizado pela Câmara Árabe, em parceria com a União das Câmaras Árabes e com o apoio da Liga dos Estados Árabes, sendo dividido em painéis: Inovação e Tecnologia, Imagem e Branding, Segurança Alimentar; Logística, Halal (que se refere, no islã, aos comportamentos, formas de vestir e de falar, alimentos que são permitidos pela religião), Energias Renováveis e Investimentos.

“São Paulo conta atualmente com uma matriz energética com 60,8% de fontes renováveis. Temos uma experiência consolidada nesse setor e estamos abertos para a troca de experiências com os países árabes que possuem uma vasta vivência no setor de petróleo e gás e que agora voltam suas atenções para as energias renováveis”, comentou o secretário de Energia e Mineração, João Carlos Meirelles, que representou o governador do estado José Alckmin.

O gerente geral e CEO do World Trade Center da Argélia, Ahmed El Antri Tibaoui, apresentou um panorama sobre as energias renováveis nos países árabes. Segundo ele, vários países investem no setor, como o Catar, a Tunísia com projetos de energia solar, a Arábia Saudita, a Argélia, e o emirado de Abu Dhabi (que tem 25% da energia consumida vinda de fonte renovável). “Todos os países estão nesta busca”, afirmou Ahmed.

Já o gerente sênior de Relações Governamentais da Agência de Água e Energia de Dubai (DEWA, na sigla em inglês), Saeed Bel Jafla, afirmou que a cidade tem investido pesado na área. É lá que se encontra o maior parque de energia solar do mundo, bem como grandes especialistas na área, segundo ele.

De acordo com Jafla, Dubai trabalha para aumentar sua capacidade energética renovável e, para isso, conta com o apoio de especialistas de outras nacionalidades, incluindo o Brasil. O gerente ainda destacou que o emirado usa carros elétricos e tem atualmente mais de 100 estações de carga, número que passará para mais de 200 até 2020.

No início do encontro, o secretário-geral da União das Câmaras Árabes, Khaled Hanafy, fez uma apresentação sobre o cenário econômico dos países orientais, e o presidente da Câmara de Comércio Árabe-Brasileira, Rubens Hannun, detalhou as ações da Câmara para o futuro.

No evento também foram apresentados dados de uma pesquisa feita na Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito, Jordânia, Argélia e Brasil sobre como os árabes veem o Brasil e como os brasileiros veem os árabes.

*Sob supervisão de Sara Lira

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui