País asiático afirma que negociações com americanos estão impossíveis.

A China intensificou seus ataques contra o governo dos Estados Unidos nesta segunda-feira (9), devido ao aumento das tarifas impostas pelo governo americano sobre importação de produtos chineses e afirmou que é impossível negociar sob as circunstâncias atuais.

Segundo a agência de notícias Reuters, as declarações foram feitas depois que o presidente Donald Trump previu no domingo que a China fosse retirar suas barreiras comerciais e expressou otimismo de que ambos os lados poderiam resolver a questão por meio das negociações.

“Sob as atuais circunstâncias, ambos os lados não podem ter negociações sobre essas questões. Os Estados Unidos, por um lado, têm a ameaça de sanções e, ao mesmo tempo, dizem que estão dispostos a conversar. Não tenho certeza sobre para quem os Estados Unidos estão fazendo esse número”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, a repórteres.

O vice-ministro de comércio, Qian Keming, declarou que Pequim não queria disputar uma guerra comercial mas não tem medo de uma.

A ação dos EUA de ameaçar a China com tarifas sobre bens chineses tinha como objetivo forçar Pequim a lidar com o que Washington diz ser roubo de propriedade intelectual e transferência forçada de tecnologia de empresas dos EUA para concorrentes chineses.

Com informações da Reuters

*Sob supervisão de Sara Lira

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui