Prêmio foi concedido pela Associação Internacional do Zinco.

A Nexa Resources foi a primeira mineradora no país a ganhar o selo de qualidade internacional emitido pela International Zinc Association (IZA), entidade que reúne os principais produtores de zinco no mundo.

O selo certifica a pureza do óxido de zinco comercializado pela empresa, que é utilizado na produção de fertilizantes para a agricultura. A presença de metais secundários no composto químico, como arsênio, cádmio, mercúrio, cromo e chumbo, pode ser prejudicial ao organismo humano e ao meio ambiente, a partir de determinada quantidade.

Os produtos da mineradora ganharam o selo por estarem dentro dos limites padrões. “A obtenção do selo de qualidade da IZA pela Nexa é uma conquista para a empresa, mas é principalmente um enorme benefício para toda a cadeia produtiva de zinco e para todas as pessoas que vão consumir produtos agropecuários mais saudáveis e livres de contaminantes”, afirmou a gerente-geral de marketing e desenvolvimento de mercado global da Nexa, Daniele Albagli.

De acordo com a executiva, a criação do selo de qualidade internacional pelo IZA chama a atenção também para a necessidade do uso de fertilizantes à base de zinco em solos pobres desse micronutriente. “Pesquisas mostram que a presença de zinco no solo aumenta a escala de produção de alimentos ao mesmo tempo que enriquece os itens agrícolas. Ao ingerirmos produtos com maior teor de zinco, há melhora no sistema imunológico e na manutenção das células”, complementa Albagli.

O selo de qualidade instituído pela IZA foi autorizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) brasileiro e é atribuído aos produtores que estejam dentro dos parâmetros de pureza definidos mundialmente em parceria com a Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Austrália (CSIRO).

Para emitir o certificado, os técnicos da associação realizam análises laboratoriais em amostras dos produtos para verificar se há presença de metais secundários em quantidades acima dos padrões permitidos.

Os testes com as amostras são repetidos a cada três meses e, duas vezes ao ano, são feitos exames aleatórios com amostras coletadas no mercado. Além disso, a cada seis meses os testes são repetidos por laboratórios independentes, podendo a empresa perder o certificado caso o fabricante não mantenha a qualidade do produto ao longo do tempo. Se julgar necessário, a IZA ainda pode realizar auditoria nas companhias certificadas.

 

*Sob supervisão de Sara Lira

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui