Órgão ambiental emitiu cinco autos de infração em virtude de dois vazamentos na tubulação do mineroduto em Minas Gerais.

A Anglo American foi multada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em R$ 72,6 milhões. O valor aplicado é o total de cinco autos de infração emitidos pelo órgão na terça-feira (10), em decorrência de dois vazamentos na tubulação do sistema Minas-Rio, no município de Santo Antônio do Grama (MG).

O primeiro foi no dia 12 de março, despejando 300 toneladas de polpa de minério no ribeirão Santo Antônio do Grama. O segundo, no dia 29, resultou em um lançamento de 647 toneladas na Fazenda Córrego Grande, zona rural da cidade. O ribeirão foi atingido por 174 toneladas do produto. O restante impactou áreas de pasto próximas. Desde o último incidente, as operações do mineroduto estão completamente paralisadas.

De acordo com informações do Ibama, dos cinco autos de infração, três são em decorrência do primeiro vazamento. No total, R$ 12,55 milhões por poluição que pode resultar em dano à saúde humana, R$ 15 milhões por poluição hídrica que torna necessária a interrupção da captação e do abastecimento de água e R$ 12,55 milhões pelo lançamento de minério em desacordo com a legislação.

Em virtude do segundo derramamento, o Ibama aplicou dois autos de infração: R$ 17,5 milhões por poluição que pode resultar em dano à saúde humana e R$ 15 milhões pelo lançamento de minério em desacordo com a legislação.

Rachadura em tubulação do Minas-Rio. Foto: Ibama/ Divulgação.

“A empresa deverá realizar uma inspeção detalhada em todo o mineroduto. A interrupção da operação será mantida até a emissão de laudo técnico que ateste a segurança das instalações, após manifestação do Instituto”, afirmou o assessor técnico da Diretoria de Licenciamento Ambiental, Jônatas Trindade, em nota.

No comunicado, o Ibama informou que aguarda a apresentação do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) pela empresa e irá acompanhar a execução do documento.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) também havia multado a mineradora, no dia 4 de abril, em R$ 125 milhões.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui