Vale irá prover R$ 1,5 bi no balanço do 2º tri para a Renova

0
2688
Distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), foi destruído pela lama de rejeitos da barragem de Fundão, em 2015.

Valor será investido em programas desempenhados pela fundação, que oferece auxílio às vítimas do rompimento da barragem da Samarco, em 2015.

A Vale irá reconhecer uma provisão adicional de R$ 1,5 bilhão no balanço do segundo trimestre de 2018, para programas gerenciados pela Fundação Renova. A instituição foi criada após o rompimento da barragem da Samarco em Mariana (MG), no ano de 2015, para reparar os danos causados às famílias atingidas pelo acidente.

De acordo com informações divulgadas pela Vale na noite desta terça-feira (17), o valor será reconhecido nas Demonstrações Contábeis Intermediárias de 30 de junho de 2018, “que totalizam o valor presente das estimativas da sua responsabilidade secundária no suporte aos trabalhos da Fundação Renova, e são equivalentes a 50% das obrigações adicionais da Samarco pelos próximos 12 anos”. O documento será divulgado no dia 25 de julho.

“A Vale reafirma seu comprometimento com a reparação e compensação dos impactos do rompimento da barragem da Samarco, assegurando provisão adicional de fundos para os programas gerenciados pela Fundação Renova”, informou a companhia, por meio de nota.

No segundo trimestre de 2016, a Vale fez uma provisão de R$ 3,7 milhões para a Fundação, que foi estabelecida em 30 de junho do mesmo ano.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui