Grupo de estudos vai analisar viabilidade de Angra 3

0
4699
Obras da usina de Angra 3, no Rio de Janeiro. Foto: Agência Brasil/ Divulgação.

Obras da Usina estão paralisadas desde 2015 e já consumiram R$ 8 bilhões.

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) instituiu um grupo de trabalho para analisar a viabilidade da Usina Nuclear Angra 3, localizada no Estado do Rio de Janeiro. De acordo com informações do Ministério de Minas e Energia (MME), a resolução foi publicada no Diário Oficial da União de quarta-feira (18).

A comissão é formada por membros do MME, dos ministérios da Fazenda e Planejamento, além do Gabinete de Segurança Institucional e Secretaria Especial do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), vinculados à Presidência da República. Também participam da equipe integrantes da Empresa de Pesquisa Energética (vinculada ao MME), Eletrobras e Eletronuclear.

O grupo irá se reunir a cada 15 dias e terá 60 dias para concluir as atividades, prazo que pode ser prorrogado. Quando os estudos forem finalizados, uma proposta será apresentada ao CNPE para uma possível avaliação de retomada do empreendimento.

De acordo com o Ministério, o Plano Decenal de Energia (PDE 2026) prevê que a Usina entre em operação comercial em janeiro de 2026, caso as questões que impedem o desenvolvimento do projeto sejam resolvidas.

Angra 3

A construção da usina foi iniciada na década de 1980, paralisada e, retomada, em 2009. Porém, a construção foi suspensa novamente em 2015 após denúncias de corrupção. Até o momento, as obras consumiram R$ 8 bilhões.

De acordo com informações da Agência Brasil, faltam R$ 13,8 bilhões para completar a construção da usina. O planejamento da Eletronuclear é reiniciar a obra em junho de 2019 e a previsão é que ela entre em operação entre o final de 2024 e começo de 2025.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui