Empresa informou que está em negociação com as autoridades para retomada das atividades, parcialmente paralisadas desde fevereiro.

A retomada da produção total da refinaria de bauxita da Hydro Alunorte em Barcarena (PA) ainda permanece incerta. Conforme publicado pela agência de notícias Reuters, a Hydro informou que isso deve ocorrer entre outubro deste ano e meados de 2019. A operação da refinaria é realizada com 50% da capacidade desde fevereiro por exigência de autoridades brasileiras, após vazamentos de rejeitos que atingiram cursos de água limpa. A empresa nega que tenha ocorrido contaminação.

Atualmente, a Alunorte, tem uma capacidade de produção de cerca de 6,3 milhões de toneladas de alumina por ano. “O processo para resolver a situação no Brasil é desafiador e demorou mais que o esperado”, disse o diretor-presidente, Svein Richard Brandtzaeg. “O momento para retomar a produção total permanece incerto”, completou.

A situação impactou no balanço financeiro do segundo trimestre, divulgado pela Hydro na terça-feira (24). De acordo com o documento, os lucros ajustados diminuíram de 2,71 bilhões de coroas norueguesas (NOK, moeda da Noruega), em comparação aos NOK 2,93 bilhões do mesmo trimestre no ano passado.

No entanto, segundo a companhia, os efeitos da redução da produção na Alunorte e do aumento do custo das matérias-primas foram parcialmente compensados pelo preço mais alto do metal “all-in” e pelo preço da alumina realizado mais alto.

De acordo com Brandtzæg, o mercado global de alumínio primário está com um déficit maior em 2018, devido ao crescimento da produção mais baixo do que o esperado, e o crescimento da demanda global de alumínio primário. “O mercado continua incerto por causa das tarifas nos Estados Unidos, sanções americanas em desfavor da Rusal e da situação no Brasil”, afirmou.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui