Comitiva especializada em técnicas de salvamento trouxe equipamentos modernos para auxiliar no resgate. Mortos chegam a 60, segundo Bombeiros.

O exército de Israel visita, na manhã desta segunda-feira (28) a área atingida pelo rompimento da mina Córrego do Feijão, da Vale, na última sexta (25) em Brumadinho (MG). No total, 132 militares desembarcaram em Belo Horizonte na noite de domingo, trazendo equipamentos e tecnologia avançada para resgate.

“Estamos iniciando hoje o trabalho junto com as forças do exército de Israel, ao qual sou muito grato. Com a tecnologia deles nós vamos aumentar, e muito, a chance de encontrarmos novos sobreviventes. Também teremos mais agilidade para encontrar as vítimas, o que de certa forma vai amenizar a angústia que as famílias têm passado”, disse o governador de Minas, Romeu Zema, em coletiva nesta manhã.

A tropa militar é liderada pelo coronel Golan Vach e conta com soldados, oficiais e engenheiros especializados em resgate. “Trouxemos conosco o melhor para ajudar as pessoas. Esperamos trabalhar lado a lado com os Bombeiros e ajudar da melhor forma possível. Trouxemos dois soldados brasileiros junto conosco e daremos a eles a oportunidade de ajudar seu país. Temos localizadores de celular, apesar de sabermos que os aparelhos podem já estar sem bateria ou danificados pela água, também temos detector de sinais, radares para água e sólidos, cães, câmeras, drones e máquinas hidráulicas que podem ajudar”, afirmou em coletiva à imprensa.

Bombeiros confirmam 60 mortos

O total de mortos na tragédia já chega a 60, dos quais 19 já foram identificados, de acordo com informações da Corpo de Bombeiros. Já foram localizadas 382 pessoas e outras 192 foram resgatadas e encaminhadas para hospitais da região. Ainda permanecem desaparecidas 292 pessoas.

Familiares que desejam procurar mais informações podem ligar para: 0800 285 7000 ou 0800 821 5000. Os números foram disponibilizados pelo Governo de Minas.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui