Consultorias aprovam reestruturação da Vale

0
2903
Gerente de Relações com Investidores, André Figueiredo - Divulgação / Vale

O processo de reestruturação societária propõe diversificar a base acionária.

As consultorias globais ISS e Glass Lewis se posicionaram a favor do processo de reestruturação corporativa da mineradora Vale, aumentando as chances de aprovação da operação, segundo informações da agência Reuters.

O processo de reestruturação societária foi anunciado em 20 de fevereiro, e objetiva ampliar a governança da companhia. No mês passado, o conselho de administração da Vale aprovou a proposta final de reestruturação da Valepar S.A., acionista controladora da mineradora, que prevê a transformação da empresa em uma sociedade sem controle definido e viabiliza a sua listagem no Novo Mercado da bolsa paulista B3.

Atualmente a Vale tem duas classes de ações: ações ordinárias (ON) e ações preferenciais (PN). As ações ordinárias possuem direito a voto e as preferenciais não possuem direito a voto em algumas deliberações. Nisso, a Vale tem um grupo controlador, chamado Valepar, que detém 53,4% das ações ordinárias.

Com a mudança, a Vale deixará de ter ações preferenciais e poderá ter 100% de ações ordinárias. Essa conversão é voluntária. A empresa passará a ter um novo Estatuto Social, para atender às regras do Novo Mercado da Bolsa de Valores e a Valepar abrirá mão do direito de controlar a empresa e será incorporada pela Vale.

Segundo a empresa, o primeiro passo é buscar a aprovação dos acionistas em Assembleia Geral Extraordinária (AGE), que acontece no dia 27 de junho.

Caso seja aprovada a proposta, passa-se à etapa de conversão voluntária das ações preferenciais em ordinárias.

Entre os dias 27 de junho e 11 de agosto, caso a transação seja aprovada na AGE, os acionistas poderão optar pela conversão de suas ações PNs em Ons. Terminado o prazo de conversão voluntária, caso seja atingido o mínimo de 54,09% de conversão, a Valepar será incorporada pela Vale e seus acionistas passam a ter participação direta na Vale.

A Vale afirma que a mudança trará maior estabilidade e segurança para a companhia, além de melhores práticas de governança corporativa, aumento de liquidez, maior acesso a mercado de capitais e diversificação da base acionária.

No dia 1° de junho, o gerente de Relações com Investidores, André Figueiredo, apresentou, no Rio de Janeiro, uma palestra sobre o Novo Acordo de Acionistas. “É uma transação que vai mudar a vida da empresa. Será realmente transformador. “Trata-se da transação mais simbólica e emblemática do mercado de capitais da história do Brasil. A Vale passou a ser exemplo e está instigando outras empresas a fazer o mesmo”, afirmou André.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui