Commodities minerais têm baixa na manhã de hoje, 25

0
2963

Demanda chinesa e clima tenso entre EUA e Coreia do Norte afetaram as cotações futuras do cobre, minério de ferro e carvão coque.

As cotações do carvão coque, do minério de Ferro, cobre e alguns metais tiveram baixas em diferentes bolsas na manhã dessa segunda-feira, 25, impactos pelos movimentos do mercado chinês e por questões da política internacional da Coreia do Norte.

No caso do minério de ferro, as perdas passam de 20%, em relação a maior alta registrada em agosto, resultante do embate entre Estados Unidos e Coreia do Norte e das consequentes sansões a produtos minerais impostas ao país do Leste Asiático.

O aumento dos estoques de ferro na China tem causado também receio sobre a queda de demanda desse metal, impactando negativamente as cotações. O minério à vista com teor de 62% de ferro registrou queda de 0,79%, chegando a 63,06 dólares a tonelada, no porto de Qingdao. Já as entregas marcadas para janeiro de 2018 tiveram baixa de 0,21%, cotadas a 468 iuanes, na bolsa chinesa de Dalian.

Com a expectativa de menor movimentação das siderúrgicas, os preços das matérias-primas para a produção de aço também sofreram perdas na China, nesta segunda-feira. Somada a isso, a reabertura de algumas unidades de carvão de coque, após paralisações de inspeção ambiental, causou preocupação sobre excesso do material.

Os futuros mais ativos do carvão coque na bolsa de Dalian caíram até 6,5% no início da manhã, para 1.137 iuanes a tonelada, valor mais baixo registrado desde julho. Já os futuros de coque diminuíram 2,4%, a 2.012,5 iuanes por tonelada, depois de cinco meses.

Por sua vez, os futuros de cobre operam em baixa em Londres e Nova York, impactados pela queda nos preços do minério de ferro e pela demanda por metais básicos. Na manhã de hoje, o cobre para três meses, negociado na London Metal Exchange (LME), registrou queda de 0,29%, a 6.458,00 dólares por tonelada.

Perdas foram registradas também para o alumínio, que caiu 0,95%, a 2.193,00 dólares por tonelada; o estanho teve redução de 0,12%, ficando em 20.570,00 dólares por tonelada; o níquel teve queda de 1,27%, a 10.500,00 dólares por tonelada; e o chumbo 0,10%, a 2.486,00 dólares por tonelada. A exceção no mercado inglês foi o zinco com alta de 0,77%, a 3.084,50 dólares por tonelada.