ArcelorMittal recebe duas indicações no Prêmio Steelie

0
3415
Produto Revsol em estradas rurais de Alfredo Chaves (ES), fruto de parceria da empresa com prefeituras locais - Foto: Clovis Rangel.

Com indicações em atividades brasileiras e argentinas, empresa concorre a premiação de excelência em sustentabilidade.

As operações da ArcelorMittal na Argentina e no Brasil foram selecionadas para os Prêmios Steelie na categoria Excelência em Sustentabilidade. Os Steelie Awards, no seu 8º ano, são organizados pela World Steel Association. O prêmio Excelência em Sustentabilidade reconhece as iniciativas que contribuíram para as três áreas de sustentabilidade: valor econômico, ambiental e social.

A ArcelorMittal Tubarão foi selecionada por seus esforços em pavimentar estradas rurais no Brasil usando subprodutos de aço. A ArcelorMittal Argentina também é concorrente do prêmio com um projeto que criou um centro de criação segura para conservação de onças, feito com aço reutilizado. Ambos os projetos contribuíram para a sustentabilidade.

O primeiro projeto a receber nomeação diz respeito ao departamento de produção e desenvolvimento da ArcelorMittal, que criou produtos denominados REVSOL® e REVSOL Plus®. Os produtos transformam a escória de aço em uma estrada primária, estacionamento e revestimento de armazém, substituindo o uso de fontes não-renováveis na construção de estradas e redução significativa da necessidade de manutenção rodoviária e dos custos associados a ela.

“Pavimentar o que havia sido estrada de terra também melhorou o acesso a serviços como coleta de lixo, ambulâncias e policiais para 30 municípios do estado do Espírito Santo em um raio de 200 km. O projeto reduziu os custos de manutenção para os veículos que usam essas estradas, e acelerou a entrega de produtos locais, melhorando a qualidade de vida das pessoas locais e resultando melhores preços para pequenos agricultores, uma vez que seus produtos são entregues mais frescos e mais rapidamente”, explica a empresa.

Já a segunda nomeação é para um projeto que visa garantir o futuro das onças, que estão criticamente ameaçadas na América do Sul.

Com menos de 200 indivíduos deixados na natureza, o Centro Experimental de Criação de Jaguar foi construído na Argentina para aumentar a população da espécie. O centro foi construído usando 14 caminhões de aço, a maioria dos quais foi recuperada de usos primários, como campos de petróleo.

O centro de criação de 35 hectares conta com dois casais de onças cativas para reprodução, provenientes de zoológicos argentinos e uma reserva paraguaia. A expectativa é que sua prole possa ser liberada na natureza depois de ter aprendido a caçar presas selvagens sem se habituar aos humanos – graças a quatro cercas de 1.200 metros quadrados feitas de aço. De acordo com a ArcelorMittal, o aço foi escolhido por sua força, durabilidade e seu impacto ambiental comparativamente pequeno.

“A população local está se beneficiando com as novas habilidades que aprenderam, como a soldagem, o que lhes permite trabalhar com o aço. Isso está ajudando-os a mudar a vida como caçadores para poder contribuir com a construção e manutenção do centro. A economia local também se beneficia do programa, graças ao aumento do investimento em infraestrutura e aos turistas atraídos pela presença das onças”, afirma a empresa.