Metalex anuncia investimentos e nova marca ao mercado

0
205
Unidade da Metalex em Araçariguama - SP / Foto: Divulgação.

Para a companhia, novo momento está alinhado com a estratégia de sustentabilidade e inovação.

A Metalex, empresa da Companhia Brasileira de Alumínio (CBA) referência em transformação da sucata de alumínio, vai investir R$ 50 milhões na instalação de uma linha de tratamento de sucata, que possibilitará o incremento da utilização do material de obsolescência, além da de processo. Desta forma, a empresa ampliará sua capacidade de reciclagem de alumínio, entregando ao mercado um tarugo ainda mais sustentável.

A empresa também anunciou o lançamento de sua nova marca, conectada à sua estratégia de sustentabilidade e inovação.

“A sustentabilidade é uma agenda estratégica global inadiável. Nesse contexto, a reciclagem é um caminho que tem se tornado ordem do dia nos países desenvolvidos. Seu maior benefício é uma produção com menor impacto ao meio ambiente, devido à baixa geração de gases de efeito estufa (GEE). Assim, antecipando a tendência no Brasil e alinhada às práticas sustentáveis da CBA, a Metalex está pronta para atender a demanda do mercado brasileiro, consolidando seu protagonismo como recicladora de alumínio” destaca Luis Jorge Pinheiro Leal Nunes, Diretor do Negócio de Produtos Primários da CBA, que inclui a operação da Metalex.

A primeira fase da expansão consiste na instalação de um forno Sidewell, que ampliará a produção de tarugos de 75 mil para 90 mil toneladas/ano após sua conclusão, prevista para o fim de 2021. Já a segunda etapa, com a instalação da nova linha de reciclagem, permitirá maximizar o consumo atual de sucata no mix de produção dos tarugos de 60% até 80%. O início desta operação está previsto para 2023.

Além de todos os ganhos em eficiência e produtividade, os resultados deste projeto de expansão também serão percebidos nos impactos ambientais. A modernização dos processos vai garantir uma redução ainda maior da pegada de carbono na produção, o que significa a oferta de um tarugo mais sustentável. Quando toda a linha estiver em atividade, a emissão de GEE será de 1,4 t CO2e (toneladas de dióxido de carbono equivalente) para cada tonelada de alumínio produzido, tornando-se referência global do mercado.

“Nos últimos anos, temos investido constantemente em pesquisa e desenvolvimento de inovações e tecnologias e na produção de um alumínio de alta qualidade. Nos consolidamos no segmento de ligas premium e cada vez mais atuamos em parceria com nossos clientes na co-criação de novas ligas. Os novos investimentos vão viabilizar uma maior proximidade e agilidade nas entregas, assim como fortalecer a geração de valor compartilhado para toda a sociedade”, pontua Luis Jorge.

Nova Marca

Aderente à atualização do seu posicionamento no mercado, a Metalex lançou, no último dia 22, sua nova marca. O rebranding mantém o legado de 20 anos de história da Companhia, ao mesmo tempo que traduz os novos passos como a inovação e a sustentabilidade.

“Somos a empresa da CBA referência em transformação da sucata de alumínio. Com excelência nos processos e agilidade no atendimento, produzimos uma variedade de ligas convencionais, especiais e ligas premium para diversos setores. Com ética em nossas atitudes, foco em inovação e práticas sustentáveis, geramos valor para nossos clientes, o mercado e toda sociedade”, declara o Gerente Geral da Metalex e da área de Fundição da CBA Rogério Minatel.

Sobre a Metalex

A Metalex atua com a produção de tarugos com diâmetro de 4 a 7 polegadas em diferentes ligas: convencionais, especiais (soluções estruturais) e ligas premium (produtos de alta complexidade técnica, destinados às aplicações especiais, principalmente para o segmento automotivo).

Fundada no ano 2000, a Empresa foi adquirida pela CBA em 2010 e tem capacidade de produção de 75 mil toneladas de alumínio a partir da sucata pós-consumo reciclada em sua planta na cidade Araçariguama (SP).

Na última década, a Metalex recebeu diversos investimentos que vão desde a expansão do pátio de sucatas, que ampliou a capacidade de recebimento e armazenamento do material, à modernização e automatização dos processos, proporcionando mais agilidade à produção. O resultado é a entrega de produtos de alta qualidade para o cliente.

 

Por Assessoria de Imprensa CBA – FleishmanHillard Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui