Rio Tinto apresenta lucro de US$ 12,45 bilhões em 2020

0
347
Complexo de Pilbara, na Austrália, da Rio Tinto.

Mineradora tem melhor resultado desde 2011, com salto nos preços do minério de ferro.

A Rio Tinto apresentou nesta quarta-feira (17/02) seu melhor resultado anual desde 2011. Além disso, informou um pagamento recorde de dividendos, sendo mais uma grande produtora de minério de ferro a mostrar para investidores que aproveitou a disparada dos preços da commodity.

A forte demanda por investimentos chineses em infraestrutura levou os preços do minério de ferro, usado na fabricação do aço, para máximas em anos, o que impulsionou os ganhos da Rio Tinto para níveis acima do esperado.

“Nós fizemos muito dinheiro no ano passado”, disse o CEO, Jakob Stausholm, que assumiu o cargo em janeiro de 2021.

“Mas também nos desalavancamos muito no ano e baixamos agora para uma dívida líquida abaixo de US$ 1 bilhão. Então é difícil argumentar que deveríamos segurar dividendos”, disse Stausholm em uma coletiva de imprensa.

O lucro ajustado cresceu de US$ 10,37 bilhões (em 2019) para US$ 12,45 bilhões no ano passado, superando as estimativas de analistas, de US$ 12,02 bilhões, segundo dados da Refinitiv.

O foco da China em infraestrutura empurrou as importações de minério de ferro em 2020 para um recorde, ajudando os preços a saltarem mais de 50%, o que deve agora beneficiar as mineradoras, que também devem ser ajudadas por uma esperada retomada da economia global após as vacinas para Covid-19.

O dividendo semestral da Rio, somado a um dividendo especial, somou US$ 6,5 bilhões. A mineradora informou um dividendo final recorde de US$ 3,09 por ação, acima dos US$ 2,31 de 2019, e anunciou um dividendo especial de US$ 0,93 por ação.

 

Por Reuters.