Principais produtos de exportação, soja em grão, minério de ferro e petróleo vão representar 28,8% das exportações em 2017, superando os 23% totalizados em 2016.

Levantamento feito pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) mostra que após cinco anos de quedas consecutivas e acumuladas em 27,7%, em 2017 as exportações conhecerão seu primeiro crescimento, projetado em 12,8%.

De acordo com o documento, o superávit comercial recorde é resultado de exportações de commodities, sendo que os destaques são para a alta nas cotações de minério de ferro, petróleo e açúcar. Os principais produtos de exportação, soja em grão, minério de ferro e petróleo vão representar 28,8% das exportações em 2017, superando os 23% totalizados em 2016.

A pesquisa feita pela AEB indica que as exportações vão atingir US$ 209,017 bilhões, com aumento de 12,8% em relação a 2016. Já as importações, devem chegar à US$ 145,795 bilhões, com expansão de 6%; e superávit comercial de US$ 63,222 bilhões.

“O superávit histórico será recorde e colocará o Brasil no top 5 mundial de superávits, atrás apenas da China, Alemanha, Coreia do Sul e Rússia”, destaca o presidente da AEB, José Augusto de Castro.

Segundo Castro, as previsões para o comércio exterior até o final de 2017 foram desenvolvidas com base tanto no processo internacional quanto o nacional, com projeções dos volumes e estimativas das cotações das commodities, responsáveis por mais de 60% das exportações brasileiras.

No que diz respeito à taxa de câmbio, a previsão da AEB é que no segundo semestre a taxa deverá oscilar entre R$ 3,15 e R$ 3,30, sem gerar grandes impactos nas exportações ou importações.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui