Companhia também apresentou Ebitda recorde de R$ 3,5 bilhões no período.

A CSN (Companha Siderúrgica Nacional) terminou o terceiro trimestre de 2020 com lucro líquido de R$ 1,2 bilhão, de acordo com o balanço divulgado nesta quinta-feira (15/10). A companhia tinha apresentado no mesmo período do ano passado um prejuízo de R$ 871 milhões.

A receita líquida apresentou alta de 45% no comparativo anual, com o valor chegando a R$ 8,7 bilhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado teve recorde de R$ 3,5 bilhões, avanço de 124% em relação ao montante de R$ 1,5 bilhão do terceiro trimestre de 2019. Segundo a CSN, o salto se deve a uma combinação melhor de volumes, preços e custos em todos os segmentos de atuação.

A produção de minério de ferro atingiu 9,4 milhões de toneladas, pouco abaixo do volume registrado um ano atrás. As vendas da commodity ficaram praticamente em linha com os resultados do ano passado, somando 9,2 milhões de toneladas.

As vendas de aço, por outro lado, mostraram crescimento anual de 19%, com o volume total vendido chegando a 1,2 milhão de toneladas (923 mil toneladas para o mercado interno e 355 mil toneladas para o mercado externo).

Novas projeções

Paralelamente à divulgação dos resultados, a CSN atualizou as projeções para o indicador de endividamento. Em nota enviada ao mercado, a companhia disse que espera atingir 2,5 vezes a dívida líquida/Ebitda ajustado em 2021.

A CSN destacou que as informações são uma estimativa e podem sofrer alterações, pois envolvem fatores de mercado alheios ao seu controle.

 

Por Money Times.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui