Minério de ferro tem mais uma semana de alta na China

135
Foto: Divulgação/ Asia Metals.

Os contratos futuros do minério de ferro subiram cerca de 11% esta semana e acumulam alta de 35% desde meados de novembro.

Os futuros do minério de ferro estão a caminho da quinta semana de ganhos, o período de valorização mais longo desde maio. A commodity é impulsionada por sinais de recuperação da produção de aço na China e pela expectativa de estímulos fiscais em 2022.

A produção de aço bruto cresceu quase 12% nos primeiros 10 dias de dezembro em relação ao mês anterior, segundo a China Iron & Steel Association. O número está em linha com previsões de analistas, que apontam retomada da produção neste mês na esteira de esforços das usinas chinesas para cumprir o objetivo do governo de reduzir a poluição.

Em novembro, o volume produzido atingiu o nível mais baixo para o mês desde 2017.

Os contratos futuros do minério de ferro subiram cerca de 11% esta semana e acumulam alta de 35% desde meados de novembro. A commodity perdeu mais da metade do valor em relação à máxima em maio, quando chegou a US$ 237.

No Porto de Qingdao a cotação nesta sexta (17) fechou a 119,60, com alta de 3,05%. Já na Bolsa de Commodities de Dalian os preços subiram 0,5%, enquanto o vergalhão de aço e a bobina laminada a quente caíram em Xangai.

“As notícias recentes sobre as políticas têm sido positivas, visando a estabilidade para o próximo ano”, disse a Hongye Futures. “Há certa melhora no ânimo no setor de construção, e alguns altos-fornos em Tangshan retomaram as operações. Embora o entusiasmo das usinas em retomar as operações seja alto, ainda existem algumas restrições ambientais.”

No entanto, operadores acompanham de perto o consumo de minério de ferro e a produção de aço em 2022 devido aos desafios enfrentados pela economia e à necessidade de reduzir as emissões.

O uso de minério de ferro e a produção de aço bruto podem encolher ainda mais à medida que a demanda por aço esfria, de acordo com o Instituto de Pesquisa e Planejamento da Indústria Metalúrgica da China, financiado pelo governo.

 

Fonte: Bloomberg.

 

Voltar