AngloGold mostra compromisso ambiental com seu uso racional na cadeia produtiva.

A cadeia produtiva mineral tem uma alta demanda e dependência por recursos hídricos, contexto que recorrentemente cria pontos de atrito entre sociedade e empresas. Em quase todas as etapas da engenharia mineral a água está presente. O recurso é hoje visto como um produto de alto valor agregado que merece atenção especial quanto ao seu manejo, controle de qualidade e uso.

Tratando-se do minério de ferro, grandes quantidades de recursos hídricos são empregadas para separar o material útil do rejeito. Imensos blocos de terra são jogados em peneiras especiais com telas de diferentes espessuras. Os fragmentos são separados com auxílio de jatos d’água, que escoam a terra antes ligada aos pedaços de ferro bruto. Estima-se que para a produção de 1,7 mil toneladas métricas secas por hora de concentrado de minério de ferro são usados 9,7 mil metros cúbicos de água.

Em Sabará, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, a AngloGold Ashanti é exemplo na reutilização da água. A empresa explora no município, além de minério de ferro, jazidas de ouro. Com perspectiva de vida útil até 2026, o Complexo Cuiabá tem produção anual de 1,25 milhão de toneladas de minério de ferro, além de 295 mil onças de ouro ao ano. De acordo com a AngloGold, somente as jazidas de ouro possuem mais de 5,4 milhões de onças a serem exploradas.
A empresa procura minimizar o uso de água nova para preservar as reservas naturais localizadas no entorno da planta. Foram adotadas tecnologias com vistas a baixar o consumo de recursos hídricos, como a recirculação da água.

TÉCNICA

Um dos exemplos é a técnica de backfill, onde parte do material moído, já separado do ouro, é devolvido à mina, o que preenche os espaços vazios deixados pela extração do mineral. O escoamento desse material para o interior da mina se faz com água, que retorna e é armazenada em uma barragem para depois ser novamente misturada a outro montante de minério moído, repetindo o processo.

Esta mesma água é também usada para alimentar os moinhos responsáveis pela moagem das pedras. Um cooler instalado na planta de ácido sulfúrico é outra iniciativa que evita a utilização de novas águas no processo. De acordo com a AngloGold Ashanti, 54% de toda a água que circula pelo Complexo Cuiabá é reutilizada.

Em Sabará, a companhia mantém uma rerserva particular de 726 hectares e põe em prática ações sustentáveis relativas à redução de gases de efeito estufa, reabilitação de áreas degradadas e estudos de flora e fauna, dentre outras.

RESERVAS

Atualmente, estima-se que 90% de toda a água disponível no planeta seja imprópria para consumo. O recurso cobre 71% da superfície terrestre. Deste total, 97% estão concentrados nos oceanos. As geleiras e calotas polares representam mais 2,4%. Já os rios, lagos e lagoas possuem apenas 0,6% de toda a água disponível na Terra. Os dados reafirmam a importância do uso racional dos recursos hídricos e a necessidade de conscientização de indivíduos e instituições acerca da preservação de tão valioso bem natural.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui