Ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho - Foto: Agência Brasil

Ministro era pressionado pelo partido a deixar o cargo após as denúncias contra Michel Temer.

Fernando Coelho Filho ficará no ministério de Minas e Energia. A informação foi confirmada pelo próprio ministro por meio de uma nota. Desde a denúncia de corrupção contra o presidente Michel Temer, havia especulações sobre a permanência ou não de Coelho Filho no ministério, uma vez que o PSB, partido ao qual pertence o ministro, havia solicitado que todos os filiados deixassem os cargos no governo federal.

“A saída do Ministério, como orienta meu partido, não contribui para a construção de saída para a crise que enfrentamos. A melhor contribuição que devo dar ao país é o meu compromisso com a missão que me foi atribuída. Por isso permaneço no Ministério”, disse o ministro.

Sobre a tarefa de comandar o ministério, Coelho Filho enfatizou a convicção de estar no caminho certo. “Tenho convicção de que, hoje, estamos contribuindo para a retomada do desenvolvimento com um projeto racional e transformador para os setores de energia elétrica, óleo e gás, biocombustíveis e mineração. Também estou certo de que esse movimento não deve e não pode parar.”

Com a decisão de permanencia, Coelho Filho corre agora risco de expulsão do PSB, uma vez que o partido deixou a base do governo no dia 20.

No comunicado, Coelho destacou, ainda, que “o momento exige responsabilidade ante os graves problemas da pauta nacional. Responsabilidade e equilíbrio”. Já a decisão em ficar teria sido tomada após ouvir Michel Temer, companheiros do Congresso Nacional, a equipe, o setor e a própria consciência. “Mais do que gestos políticos, o momento exige coragem e atitude. Exige lealdade”, finalizou.

Confira a nota na integra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui