Com uma dívida que não para de crescer, o Estado Australiano tenta reverter situação cobrando taxas pela permissão da extração de minério de ferro.

Segundo informações divulgadas pela agência de notícias Reuters, o governo da Austrália irá pedir às mineradoras Rio Tinto e BHP um pagamento antecipado de uma taxa bilionária. O pagamento será feito como uma forma de substituir os valores que eram arrecadados com uma taxa que incidia sobre a produção de minério de ferro das empresas e que foi cancelada.

A proposta exige que a Rio Tinto e a BHP paguem três bilhões de dólares cada, em troca do cancelamento de uma taxa de 0,25 dólares australianos por tonelada sobre o minério de ferro de suas minas, algumas das quais devem continuar suas operações por 50 anos.

O secretário do Tesouro do Estado, Ben Wyatt, cujo Partido Trabalhista, de centro-esquerda, venceu a eleição estadual em março, disse que a proposta está em fase inicial. A Rio Tinto já rejeitou a proposta de pagamentos antecipados anteriormente, segundo um porta-voz da companhia. As mineradoras devem se encontrar com o governo nesta semana, mas uma fonte próxima a uma das companhias disse que a proposta poderia abrir um precedente perigoso.

Após a mineração australiana ter tido um boom de quase dez anos – chegando ao fim em meados de 2012 – o Estado passou a acumular dívidas cada vez maiores, com taxas de desemprego no setor que chegaram a quase 10%.

O montante agora é de 23 bilhões de dólares e para conseguir se estabilizar e juntar fundos suficientes para ressarcir a dívida, o governo passou a estabelecer taxas altas para permitir a atividade minerária no território da Austrália Ocidental, que é rica em minerais.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui