Proposta desagrada ambientalistas e grupos empresariais que temem acidentes e impactos no turismo.

O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez mais uma declaração polêmica nesta semana. Na quinta-feira (5/1), a administração propôs abrir quase todas as águas no mar do país para perfuração de petróleo e gás. A proposta reverte proteções no Ártico, Atlântico e Pacífico.

De acordo com informações da agência de notícias Reuters, o esforço para expansão da produção energética americana enfrenta resistência por parte de ambientalistas, políticos e alguns grupos empresariais. A principal preocupação é com possíveis vazamentos e com o impacto do turismo litorâneo.

De acordo com o secretário do interior, Ryan Zinke, o programa nacional para locação de áreas extra-continentais para extração de petróleo e gás de 2019 a 2024 deixará mais de 90% da área costeira disponível para arrendamento.

“Nós queremos o crescimento da indústria energética em alto mar da nossa nação, ao invés de, aos poucos, abrir mão dela para costas estrangeiras”, disse Zinke à Reuters.

A nova medida inclui regiões colocadas fora dos limites pelo ex-presidente Barack Obama. Antes de sair, ele baniu novas perfurações de petróleo e gás em águas federais nos oceanos Atlântico e Ártico, protegendo 46,5 milhões de hectares de águas do Alaska e 1,5 milhão de hectares no Atlântico.

Com informações da Reuters.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui