Maior parte dos projetos tem como foco tecnologias para redução de riscos e impactos ambientais.

Um total de R$ 1,4 bilhão será investido em pesquisa, desenvolvimento e inovação na área de mineração e transformação mineral. O montante foi aprovado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), conforme comunicado do banco nesta semana.

Dezenove projetos, de um total de 50 inscritos, foram selecionados na segunda rodada do edital Inova Mineral. Segundo informações divulgadas pelo BNDES, a demanda superou a primeira etapa, quando foram recebidas 42 propostas, das quais 24 aprovadas com R$ 737 milhões em investimentos previstos.

De acordo com o Banco Nacional, a maior parte dos projetos aprovados, sete, é voltada para tecnologias e processos para redução e mitigação de riscos e impactos ambientais, como recuperação e aproveitamento de resíduos. Somente neles serão investidos R$ 1 bilhão do montante total. A linha foi a que mais recebeu propostas.

O superintendente de Inovação em Indústria, Engenharia e Serviços da Finep, Maurício Syrio, afirmou que, após o rompimento da barragem da Samarco, em Mariana, há dois anos, era esperado que o maior número dos projetos fosse voltado à preservação ambiental. “Alguns propõem o reaproveitamento de rejeitos e evitam, assim, a necessidade de barragens”, pontuou.

O BNDES ainda destacou que projetos com foco nas pesquisas de minerais estratégicos, os chamados “Portadores do Futuro” também receberam muitas propostas. Os cinco aprovados nessa linha vão pesquisas minérios como terras raras, grafita, lítio, silício e titânio e receberão R$ 290 milhões.

“As outras linhas são: Tecnologias de Mineração (3 projetos); Desenvolvimento e Produção Pioneira de Máquinas, Equipamentos, Softwares e Sistemas (3); e Minerais Estratégicos com Elevado Déficit Comercial: Fosfato e Potássio (1)”, informou o BNDES, por meio de nota.

As empresas selecionadas com propostas mais maduras devem começar a receber desembolsos ainda em 2018.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui