Abastecimento volta parcialmente após vazamento de minério

0
2708
Obras da Audutora definitiva, na cidade de Santo Antônio da Grama. Foto: Sisema/ Divulgação.

Interrupção na captação de água ocorreu após o rompimento de uma tubulação do Minas-Rio, provocando o vazamento de polpa de minério de ferro que caiu no ribeirão que abastece a cidade.

O abastecimento de água do município de Santo Antônio da Grama (MG) retomou parcialmente, na madrugada de quarta-feira (14), segundo informações divulgadas pela Anglo American.

O fornecimento de água havia sido interrompido devido a polpa de minério que  caiu no Ribeirão Santo Antônio após o rompimento da de uma tubulação do Minas-Rio no dia 12 de março.

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) iniciou a distribuição de água às 0h20, na parte baixa da cidade. A mineradora está completando o abastecimento, na parte alta, com o caminhões-pipas.

De acordo com a companhia o sistema de abastecimento alternativo, com uma adutora superficial, instalada provisoriamente pela mineradora, começou a funcionar às 18h de ontem (13). A água captada no Ribeirão Salgado irá abastecer os dois reservatórios da Estação de Tratamento de água (ETA). O sistema roda com captação de sete litros por segundo.

A mineradora afirmou que a obra da adutora definitiva no subsolo, está prevista para ser concluída na próxima sexta-feira (16). O empreendimento tem capacidade de captação de 12 litros por segundo.

Segundo informações divulgadas pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) a autorização da obra foi concedida pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam).

Rio Casca

A pluma de minério do Ribeirão Santo Antônio que chegou ao Rio Casca está sendo avaliada pela Copasa. De acordo com o Sisema, as primeiras análises indicam que não houve alteração que exigisse a interrupção de captação.

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) continua com a monitoração do local para saber os impactos provocados.

Resposta

Em nota, a Anglo American afirmou que a pluma que chegou ao Rio Casca está diluída e não causará nenhum dano.

“Foi verificado que a pluma que desceu do ribeirão Santo Antônio, no município de Santo Antônio do Grama (MG), chegou ao encontro com o rio Casca, distante 18,8 km, mas de maneira bastante diluída. A diferença de vazão entre os dois cursos d’água, somada às ágeis ações da empresa para responder ao evento, contribuiu para que a percepção da pluma do rio Casca se dê apenas na área contígua à vazante do ribeirão Santo Antônio” disse a mineradora.

Ela ainda ressaltou que as partículas maiores se encontram depositadas no leito do Ribeirão Santo Antônio e a retirada começa a partir de hoje (14).

*Sob supervisão de Sara Lira

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui