Empreendimento no Rio de Janeiro foi feito será feito em parceria com a SPE.

A Petrobras e a Sociedade de Propósito Específico (SPE), formada pela chinesa Shandong Kerui Petroleum e a brasileira Método Potencial, assinaram na última quarta-feira (28) um contrato para a construção da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) no valor de R$ 1,95 bilhão.

O empreendimento será instalado em Itaboraí (RJ) e integra o projeto Rota 3, destinado ao escoamento da produção de gás natural de campos de pré-sal da Bacia de Santos. De acordo com a Petrobras, as obras estão previstas para começarem no primeiro semestre deste ano, com o início das operações no segundo semestre de 2020.

A unidade será a maior do país, com capacidade de processamento de até 21 milhões de m³ por dia. Outro ganho é a ampliação da infraestrutura de escoamento e processamento de gás do pré-sal da companhia, que passará de 23 milhões, para 44 milhões de m³ por dia.

O gás produzido pode ser utilizado para gerar energia, em veículos e indústrias. Contribuirá também para reduzir a necessidade de importação de gás natural, e tornar possível o aumento da produção de óleo do pré-sal, uma vez que aumentará o processamento de gás associado ao petróleo produzido na região.

O projeto Rota 3

O projeto Rota 3 tem como objetivo ampliar o escoamento de gás natural dos projetos em operação na área do pré-sal da Bacia de Santos com a disponibilização da terceira rota de escoamento.

Além da UPGN, o projeto tem a construção de um gasoduto com aproximadamente 355 km de extensão, sendo 307 km de trecho marítimo, já construído, e 48 km de trecho terrestre, em fase de licitação, que escoará o gás natural do Polo Pré-Sal da Bacia de Santos até a unidade.

Tanto a UPGN quanto o gasoduto estão previstos para ficar prontos em 2020 com o objetivo de funcionarem integrados.

*Sob supervisão de Sara Lira

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui