Brasil deve dobrar capacidade de energia instalada até 2040

0
3977
Hidrelétrica Nova Ponte, localizada no Rio Araguari (MG). Créditos: Divulgação Cemig.

Estatísticas foram previstas pelo relatório da Bloomberg New Energy Finance com destaque para outras renováveis além da hidrelétrica, que representa 84% da fonte total do país.

Até 2040, o Brasil deve dobrar sua capacidade atual instalada de energia limpa, de 157 GW para 316 GW, como destacou a análise do relatório New Energy Outlook 2018, feito pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF).

As fontes de energia de baixo carbono, atualmente representam 84% da capacidade instalada no país, e a hidrelétrica com um total de 102 GW, sendo a maior contribuinte.

Embora a energia hídrica continue sendo a principal em 2040, com 111 GW em operação, o estudo prevê outras tecnologias assumindo a liderança em termos de novas adições. Se destacam a energia solar com 116 GW de nova capacidade instalada e a eólica com 16 GW.

“Uma média de quase 6 GW de capacidade de energias renováveis será adicionada por ano até 2040, mais que dobrando a participação das renováveis não-hidrelétricas para quase 50% da capacidade instalada”, destacou o instituto de pesquisa por meio de nota. Ele ainda completou que, além disso, outros 52 GW de baterias e capacidade flexível serão instalados até 2050.

Já a energia solar deixa de ser apenas uma pequena parte da matriz do Brasil e chega a 117 GW até 2040. Isso ocorrerá, principalmente pelos projetos fotovoltaicos (PV) de pequena escala, que respondem por 95% do total (111 GW).

Outras fontes que ganham espaço são as baterias e a capacidade flexível, praticamente inexistentes nos dias de hoje, que aumentam para 8% do total em 2040 e 14% em 2050.

O relatório também informa que cerca de 86% dos US$ 150 bilhões investidos na geração de energia no Brasil até 2040 serão direcionados para as energias renováveis.

A principal parte do investimento irá para energia eólica onshore (em terra) e PV. A primeira chega a US$ 16 bilhões e a segunda a US$ 97 bilhões, dos quais 96% são destinados a energia fotovoltaica de pequena escala.

A maior parte do investimento fotovoltaico de larga escala será realizado antes de 2035. Os PVs dominarão em pequena escala as perspectivas de investimento em meados de 2020 até 2040, quando US$ 77 bilhões de investimento proveniente de residências e empresas ajudarão a instalar mais de 100 GW de capacidade em todo o país.

Com informações da Bloomberg

*Sob supervisão de Sara Lira

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui