Trump sobretaxa em 10% US$ 200 bi em exportações da China

0
1632
Presidente dos EUA, Donald Trump. Foto: Flickr/ Gage Skidmore.

Organização Mundial do Comércio alerta sobre desdobramentos negativos da disputa comercial entre os dois países.

As sobretaxas de 10% sobre US$ 200 bilhões em importações chinesas nos Estados Unidos começam a valer no dia 24 de setembro. O anúncio foi dado pelo presidente Donald Trump, em retaliação ao que ele acredita ser práticas injustas relacionadas à tecnologia e à propriedade intelectual dos EUA, como forçar as empresas americanas a transferir tecnologia para companhias chinesas.

As tarifas aumentarão para 25% no início de 2019. Essa nova medida se soma aos US$ 50 bilhões que já haviam sido taxados no início deste ano. Assim, os EUA vão cobrar tarifas de quase metade de tudo o que compram da China.

O comunicado do presidente americano afirma que “se a China tomar medidas de retaliação contra nossos agricultores ou outras indústrias, imediatamente buscaremos a fase três, que são tarifas adicionais sobre aproximadamente US$ 267 bilhões de importações”.

A decisão de Trump é mais um agravante da disputa comercial entre os dois países. A nova rodada de tarifas abrange bens de consumo, podendo elevar preços de produtos eletrônicos, alimentos, ferramentas e utilidades domésticas. Os produtos industriais já haviam sido sobretaxados. Foram poupados alguns itens como relógios inteligentes da Apple e insumos chineses para os produtos químicos produzidos nos EUA usados na manufatura e têxteis.

“A decisão do presidente Trump de impor mais US$ 200 bilhões é imprudente e causará danos duradouros às comunidades em todo o país”, disse o presidente da associação que representa as principais empresas de tecnologia nos EUA, Dean Garfield.
OMC alerta para desdobramentos da tensão comercial entre os dois países

Em entrevista à Reuters, o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, afirmou que se preocupa com o aumento da tensão comercial entre os dois países. “Sinceramente, não acho que acabou não. Tem muita munição e pode escalar para outras áreas que não a tarifária. Pode não ficar apenas na área comercial”, disse.

OMC alerta para desdobramentos da tensão comercial entre os dois países

Em entrevista à Reuters, o diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, afirmou que se preocupa com o aumento da tensão comercial entre os dois países. “Sinceramente, não acho que acabou não. Tem muita munição e pode escalar para outras áreas que não a tarifária. Pode não ficar apenas na área comercial”, disse.

O diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, afirmou que está muito preocupado com o aumento da tensão comercial entre Estados Unidos e China após nova rodada de tarifas entre si nesta semana, dizendo temer que o conflito entre as duas maiores economias do mundo escale para outras áreas.

“Não fiquei surpreso e sabia que esse era o destino estou muito preocupado”, disse ele a jornalistas ao frisar que a relação entre China e EUA pode piorar ainda mais.

“Sinceramente, não acho que acabou não. Tem muita munição e pode escalar para outras áreas que não a tarifária. Pode não ficar apenas na área comercial”, acrescentou.

A OMC tem tentado influenciar EUA e China a resolverem suas pendências comerciais por meio do diálogo. O órgão já alertou sobre os desdobramentos negativos que as dificuldades comerciais entre os dois países podem gerar.

 

Com agências.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui