Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, ele defendeu a investigação dos fatos e destacou que a diretoria não irá se afastar. Por meio de nota, a companhia desautorizou as declarações. Desastre já contabiliza 60 mortos, 292 desaparecidos e 382 pessoas atingidas que foram localizadas.

Um dos principais advogados da Vale, Sergio Bermudes, afirmou na manhã deste segunda-feira (28) que a mineradora “não enxerga razões determinantes de sua responsabilidade” no rompimento da barragem em Brumadinho (MG), na última sexta (25). A afirmação foi em entrevista exclusiva a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo.

Ainda segundo ele, a diretoria da empresa não irá se afastar. A fala foi uma resposta a declaração do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) no domingo (27), que pediu o “afastamento cautelar” e “urgente” de toda a diretoria da Vale.

“A Vale não enxerga razões determinantes de sua responsabilidade. Não houve negligência, imprudência, imperícia”, disse o advogado. “Por que uma barragem se rompe? São vários os fatores, e eles agora vão ser objeto de considerações de ordem técnica”.

Ainda segundo Bermudes, renúncias só atrapalhariam o andamento dos trabalhos desenvolvidos pela empresa neste momento. “Só uma assembleia geral [dos acionistas da empresa] poderia afastar seus diretores. E eles não vão renunciar. A renúncia não ajudaria a companhia, perturbaria a continuidade das medidas que ela, do modo mais louvável, está tomando”, afirmou. “Não cabe renúncia pois não se identificou dolo e muito menos culpa (dos executivos da Vale), acrescentou.

Por meio de nota, a Vale informou que não autorizou terceiros, inclusive advogados contratados, a falar em seu nome. “A Vale volta a ressaltar, de forma enfática, que permanecerá contribuindo com todas as investigações para a apuração dos fatos e que esse é o foco de sua diretoria, juntamente com o apoio às famílias atingidas”, informou.

A tragédia

A barragem da mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, se rompeu no horário do almoço na sexta-feira (25). Os rejeitos atingiram a parte administrativa da companhia, uma pousada e parte da comunidade da Vila Verteco. A lama também já chegou ao rio Paraopeba, que corta 42 cidades mineiras.

O total de mortos na tragédia já chega a 60, dos quais 19 já foram identificados, de acordo com informações da Corpo de Bombeiros. Já foram localizadas 382 pessoas e outras 192 foram resgatadas e encaminhadas para hospitais da região. Ainda permanecem desaparecidas 292 pessoas.

Familiares que desejam procurar mais informações podem ligar para: 0800 285 7000 ou 0800 821 5000. Os números foram disponibilizados pelo Governo de Minas.

Vale suspende remuneração a acionistas

Em reunião extraordinária neste domingo (27), a Vale anunciou a suspensão da Política de Remuneração aos Acionistas e, consequentemente, o não pagamento de dividendos e juros sobre o capital próprio, bem como qualquer outra deliberação sobre recompra de ações de sua própria emissão. Também foi suspenso o pagamento de remuneração variável aos executivos.

Ainda nesta reunião foi decidida a criação de dois Comitês Independentes de Assessoramento Extraordinário (CIAE). O primeiro, de Apoio e Reparação, irá acompanhar as providências destinadas à assistência às vítimas e à recuperação da área atingida pelo rompimento da barragem.

Já o segundo, de Apuração, será dedicado à apuração das causas e responsabilidades pelo rompimento da barragem.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui