Centaurus identifica alvos de ouro e cobre no Pará

1
3482
Mineradora agora aguarda licença para iniciar a fase de sondagem - Foto: Divulgação/Centaurus

Projeto Salobo West, localizado na cidade de Marabá, apresenta três diferentes pontos valiosos a serem explorados.

A mineradora australiana Centaurus divulgou pesquisa mineral que define novos alvos de cobre e de ouro no Pará. O projeto, que carrega o nome de Salobo West, fica na província de Carajás, na cidade de Marabá.

A pesquisa mostra que os resultados geoquímicos indicam três zonas-alvo que apresentam características geológicas, estruturais, geoquímicas e geofísicas semelhantes a depósitos de ouro e cobre.

Segundo a empresa, os resultados das amostras retiradas do solo apresentam prospectividade no alvo chamado SWI-BIOCG. “Os resultados geoquímicos do solo foram delineados por uma anomalia de Cu-Au (- Co) com mais de 6,5 quilômetros de comprimento no prospecto SW1-B, com até 600 m de largura, com valores de solo de até 412 ppm [partes por milhão] de cobre, 108 ppb Au e 299 ppm Co. A assinatura do solo para SW1-B Prospect é comparável a uma série de depósitos conhecidos de IOCG em Carajás”, explicou a empresa por meio de nota.

A empresa começou as pesquisas em solo brasileiro no mês de junho e, desde então, a empresa tem trabalhado na prospecção do território. A próxima fase do projeto será a de sondagem, cujo licenciamento está em andamento no Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). “As principais aprovações devem estar disponíveis no início de 2018, depois da estação das chuvas, o que facilita o início da sondagem”, afirmou a mineradora, no texto.

Salobo West

O Projeto Salobo West fica a 15 quilômetros da mina Salobo, onde a Vale explora cobre e ouro. Segundo a Centaurus, a planta tem reservas de 1,2 bilhão de toneladas com teor de 0,63% de Cu e 0,4 g/t de Au e produziram aproximadamente 176.000 toneladas de cobre e 317.000 onças de ouro em 2016.