Cerca de 722 mil toneladas foram exportadas nos primeiros dez meses do ano, e mais 70 mil estão previstas para serem entregues até o final de dezembro.

Segundo o Sindicato das Indústrias do Ferro do Estado de Minas Gerais (Sindifer-MG), que representa as empresas do setor de Minas Gerais e no Espírito Santo, a comercialização do ferro-gusa para o exterior pelo Estado deve crescer de 34,7% em 2017, partindo do porto de Vitória, no Espírito Santo.

De acordo com a instituição, a projeção é que sejam exportadas quase 800 mil toneladas do produto até o final do ano, pelo Cais de Paul. Em 2016, foram movimentadas 594 mil toneladas.

Até o mês de outubro foram registradas 722 mil toneladas de gusa exportadas em 28 navios, e até o final de dezembro outros quatro navios estão programados para embarcar com aproximadamente mais 70 mil toneladas.

“Houve, em primeiro lugar, um aumento da demanda dos compradores estrangeiros que veio com a melhora da competitividade do produto brasileiro no mercado internacional. Há que se destacar ainda o salto na produtividade que as empresas deram, aprimorando os processos; e a questão logística que tem contribuído”, explicou o presidente do Sindifer-MG, Fausto Varela Cançado.

Ainda de acordo com o sindicato, apenas duas empresas capixabas somam um faturamento aproximado de R$ 259,1 milhões, pagando cerca de R$ 19,3 milhões em impostos e gerando mais de 520 empregos diretos. “É uma parceria vantajosa para todos os lados, conseguimos escoar com facilidade e no Espírito Santo geramos empregos e pagamos impostos”, comentou Fausto.

Para a associação, as expectativas para 2018 também são positivas. “É uma recuperação contínua que projetamos também para o ano que vem, talvez não tão grande quanto esta, mas ainda com esse viés de crescimento”, completou o presidente do Sindifer-MG.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui