Recarga da usina nuclear Angra 2 bate recorde

0
6045
Angra 2 - Foto: Divulgação.

Usina levou apenas 126 dias para se reabastecer e utilizou 27 toneladas de urânio no processo.

A segunda usina nuclear brasileira, Angra 2, localizada em Angra dos Reis (RJ), alcançou uma marca histórica de produção em sua 14ª recarga: em apenas 126 dias a planta concluiu seu reabastecimento. Agora, as Indústrias Nucleares do Brasil (INB), serão responsáveis por entregar a recarga à empresa Eletronuclear ainda neste ano.

O abastecimento da usina foi feito pela INB. De acordo com a entidade, o tempo recorde é consideravelmente menor quando comparado aos 150 dias utilizados em todas produções anteriores da usina.

Na recarga, a usina é reabastecida com uma substituição de elementos combustíveis por novos. Os elementos são estruturas metálicas, com até 5 metros de altura, formadas por um conjunto de tubos, chamados de varetas, que recebem as pastilhas de urânio enriquecido.

A produção da 14ª recarga de Angra 2 utilizou cerca 27 toneladas de urânio enriquecido na composição dos 52 elementos combustíveis presentes no processo.

“A INB tem objetivos ousados e pretende alcançar a expressiva marca de produzir as recargas de Angra 1, 2 e 3 dentro do período de um ano. A próxima recarga, a 24ª de Angra 1, está prevista para o início de 2018. A meta da empresa é concluir esta produção em apenas 110 dias, o que irá configurar um novo recorde”, informou a instituição, em nota.

Além da produção das recargas, a INB também trabalha com o que ela chama de “ciclo do combustível nuclear”, que inclui a mineração, beneficiamento e enriquecimento do urânio e, finalmente, a fabricação de pastilhas e do combustível.

Programa nuclear nacional

Atualmente, cerca de 3% da matriz energética do Brasil é proveniente de energia nuclear, que é produzida por dois reatores de água pressurizada na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto, em Angra dos Reis (Angra 1 e Angra 2).

Em junho de 2010 um terceiro reator começou a ser construído e deve entrar em funcionamento em 2018. A empresa brasileira encarregada de produzir energia nuclear é a Eletronuclear. A produção brasileira é voltada unicamente para geração de energia, pois o país não produz qualquer tipo de armamento nuclear.