Retomada ocorrerá de forma gradual, com 26% da capacidade da mineradora.

A mineradora Samarco, joint-venture entre a Vale e a BHP, se prepara para voltar a operar, cinco anos após o desastre ambiental provocado pelo rompimento da barragem de Fundão, no município de Bento Rodrigues (MG). A lama de rejeitos matou 19 pessoas, afetou 39 municípios de Minas Gerais e Espírito Santo e percorreu mais de 600 km pelo rio Doce e seus afluentes até sua foz, no Oceano Atlântico.

Segundo a empresa, a previsão de retomada está mantida para o final do ano e ocorrerá após a implantação do sistema de filtragem de rejeitos, em andamento, e a conclusão das atividades de prontidão operacional. O processo ocorrerá de forma gradual, inicialmente, com um concentrador no Complexo de Germano, em Mariana, e uma usina de pelotização em Ubu, no Espírito Santo. A expectativa é de produzir 8 milhões de toneladas por ano, o que corresponde a 26% da capacidade da mineradora.

O novo sistema de filtragem de rejeitos da Samarco possibilitará o empilhamento a seco de 80% do rejeito a ser gerado no processo produtivo. Os 20% restantes serão dispostos na Cava Alegria Sul, uma estrutura de formação natural rochosa e confinada que permite a contenção natural do rejeito de forma mais segura. Toda a água extraída com a filtragem será recirculada no processo produtivo, tornando-o mais sustentável, garantiu a empresa.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui