SRN Mineração recebe licença para extração de minério de ferro no Piauí

0
136
Membros do governo estadual e da SRN Mineração - Foto: Divulgação / SRN.

Inicialmente a produção da planta será de 300 mil toneladas de minério de ferro por ano, e de forma escalonada alcançará 2 milhões de toneladas/ano.

O CEO da Mineradora SRN, Marcelo da Silva Prado, recebeu nesta quarta-feira, 25/08, a licença prévia ambiental da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Piauí para extração de minério de ferro no Estado. O empreendimento alcançará os municípios de Dirceu Arcoverde, São Raimundo Nonato e São Lourenço do Piauí.

A fase inicial do projeto compreende a extração de cerca de 300 mil toneladas de minério de ferro por ano, sendo que a capacidade alcançará de forma escalonada 2 milhões de toneladas/ano. A planta-piloto vai gerar mais de 400 empregos diretos, chegando a mais de 2 mil diretos e indiretos. Com o recebimento da licença, o projeto será executado em um período de 8 a 12 meses. “O minério produzido terá um teor de ferro superior a 64% (premium), com baixíssimos contaminantes. Inicialmente será oferecido no mercado interno e posteriormente exportado”, afirma Prado.

Segundo a empresa, as operações da SRN Mineração acompanhará os avanços do setor. “Para o Estado do Piauí, a SRN desenvolveu uma rota de processo ousado: a extração será totalmente a seco, feita simplesmente por separação magnética. A magnetita pura – minério da região – será moída e separada pelo magnetismo, tecnologia considerada sustentável e inovadora, por não causar danos ao meio ambiente. O sistema adotado não utilizará a escassa água do local e não causará nenhum impacto ambiental. Não teremos barragem de rejeitos”, esclarece Prado.

De acordo com a mineradora, o transporte do minério será feito exclusivamente por rodovias, por enquanto, por meio de caminhões.

A SRN Mineração foi constituída entre 2008 e 2009 por meio da junção de várias pessoas que tinham direitos minerários na região de São Raimundo Nonato (PI), mas não tinham capital para desenvolver projetos. Ela é formada, de acordo com Prado, por 5% de capital estrangeiro e 95% de sócios locais, como pessoas físicas e empresas de investimentos. Prado afirma que, “a empresa tem como objetivo viabilizar o desenvolvimento de projetos de mineração de forma ambientalmente sustentável, gerando benefícios econômicos e sociais”.

Participaram da assinatura da concessão da licença: Adriana Saraiva, diretora de Licenciamento e Fiscalização, Sadia Gonçalves de Castro, secretaria do Meio Ambiente do Estado do Piauí, Luis Coelho, secretário de Mineração do Estado do Piauí, Edson Araujo, advogado e Marcelo da Silva Prado, CEO da Mineradora SRN.

 

Voltar