Mineral versátil, talco é empregado em diversos setores: desde a construção civil e a produção de cosméticos até o artesanato; reservas somam 13,8% do total mundial.

Da rocha aos remédios, do pó à cerâmica, da pedra à arte: o talco é um dos minerais de maior versatilidade da geologia e de uso tão rotineiro que pode ser aplicado de maneiras inimagináveis. Suas reservas no Brasil ocupam 13,8% do total mundial, fazendo do país o quarto maior produtor do mineral do mundo, com estimativas que tendem a crescer.

Conhecido por sua leveza, pela baixa condutividade elétrica e térmica e, acima de tudo, pela facilidade de ser trabalhado, o talco tem diversas origens, mas, no Brasil, a mais conhecida é a metamórfica. Isso significa que se trata de um mineral que vem de uma rocha de baixo grau de morfismo, como no caso das pedras-sabão, conforme explica o professor de geologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Eduardo Salamuni.

“Na geologia, temos três tipos de rochas. O primeiro são o das chamadas rochas ígneas, que vêm do resfriamento do magma de vulcões, como temos visto muito no Havaí. O segundo tipo são o das rochas sedimentares, que resultam de processos externos, e o terceiro tipo são as rochas metamórficas, que passam por alterações por altas temperaturas. O talco faz parte desse último grupo, cujo grau de metamorfismo é baixo, o que significa que ele não é muito difícil de se trabalhar, é meio mole, de baixa resistência”, diz o professor.

O talco é uma rocha esbranquiçada – não necessariamente branca – e pode até ser cinza também. Possui uma textura mais macia e muitas estruturas.

Por ser um mineral mais sedoso, é pouco resistente a processos mecânicos de extração, o que torna fácil sua retirada.

Portanto, não é sempre que é necessário utilizar explosivos, por exemplo, como ocorreria numa jazida com britas.

PRODUÇÃO

Por ser de baixa resistência, o talco de manda um alto planejamento de jazida, porque pode haver deslizamentos de blocos ou desabamentos, o que tornaria a jazida inviável após alguns anos, segundo Salamuni. “A facilidade de se extrair o talco da terra não significa que não seja preciso fazer um bom planejamento de lavra”, frisa.

O processo de beneficiamento do talco varia de acordo com a forma de sua aplicação.

Normalmente, ele é moído e sempre é purificado. Na purificação, são retirados os inservíveis, como metais, por meio do magnetismo, e outros, através de flotação e secagem.

O material é reduzido e purificado conforme a destinação desejada. “Na indústria farmacêutica e na dos cosméticos, por exemplo, não é permitido nenhum tipo de impureza, pois isso afeta a qualidade. O mesmo ocorre na produção de cerâmicas”, detalha o professor.

Em Brumado, cidade que detém as maiores reservas de talco do país, a empresa Xilolite é uma das que se destacam na mineração do produto. A mineradora explora cerca de 40 milhões de toneladas de minério no município. Dessa quantia, 8 milhões são de talco.

Na empresa, o talco é extraído a céu aberto, em bancadas de 10 metros de altura. Segundo o diretor-presidente, João Alfredo Camargo, são usadas carretas de perfuração com perfuratriz pneumática, assim como explosivos, escavadeiras e caminhões. Inicialmente, é feita a britagem primária. Em seguida, o mineral é separado em pilhas de homogeneização.

“O beneficiamento do minério é feito através da flotação. Após isso, ele passa pelos seguintes processos: secagem com filtro a vácuo, estocagem, moagem, micronização, pelotização, secagem e embalagem em sacos ou big-bags”, relata o diretor-presidente.

A mina já está ativa há 43 anos e ainda tem mais um século de vida útil. De acordo com Alfredo, na cidade a empresa gera 209 empregos diretos e 108 terceirizados e mais 473 dependentes, que fazem serviços sem estarem diretamente ligados à empresa, resultando em mais de 790 pessoas envolvidas.

Conforme o diretor explica, a empresa vende seus produtos para quase todos os Estados do Brasil, principalmente os das regiões Sul e Sudeste, destinando o talco para empresas de cosméticos e indústrias de celulose e de plásticos. A empresa também realiza exportações. “O talco beneficiado em Brumado é de alta qualidade, similar aos melhores do mundo, o que nos permite exportar para vários países da América Latina e dos EUA”, complementa Camargo.

UTILIZAÇÃO

Segundo dados do Departamento de Produção Mineral (DNPM), no país, Paraná e São Paulo são os Estados que mais consomem o produto. A maior utilização do talco é na indústria de construção civil e na siderurgia. O mineral também é destinado à produção de fármacos e cosméticos, bem como de tintas e de ração animal.

O ramo que mais demanda o talco no Brasil tem sido o da cerâmica.

Nessa indústria, ele é empregado para aumentar a lubrificação na etapa de prensagem e para melhorar a resistência térmica do produto final. No âmbito das tintas, o mineral serve como pigmento. No campo em que mais é conhecido, o de cosméticos e farmacêuticos, o talco é utilizado como pó para limpeza e desodorização (cosmética) e como diluente de comprimidos e cápsulas (farmácia). Em ambos os casos, assim como no da cerâmica, o mineral precisa ser de extrema pureza.

Além da indústria, o talco também é destinado à arte, em que se utiliza a pedra-sabão, uma rocha constituída quase inteiramente de talco. Encontrada em cores que variam entre cinza e verde e de sensação saponácea ao tato, a pedra-sabão é uma variação do mineral e é conhecida por ter sido matéria-prima de importantes obras da arte brasileira, como a do artista mineiro Aleijadinho. A pedra também é utilizada na produção de panelas e de lareiras, considerando-se sua capacidade de regular e absorver corretamente o calor.

Segundo o DNPM, o Brasil se mantém como um dos maiores produtores de talco do mundo, tendo havido aumento da demanda nos últimos anos, o que contribuiu para a estabilidade da oferta mundial junto a países como China, Estados Unidos, Índia e Japão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui