Com lucro líquido de R$ 108 milhões no 1T17, companhia cria linha de aços eletrogalvanizados para construção civil e inicia fornecimento de estruturas metálicas para o segmento de energia solar.

Após celebrar o lucro líquido de R$ 108 milhões no primeiro trimestre de 2017, a Usiminas lança novos produtos ao mercado de aços. Na sexta-feira, 19, a companhia divulgou o lançamento de um novo produto e também uma nova área atendida. A empresa desenvolveu uma nova linha de aços eletrogalvanizados para a área da construção civil, e passa a ser fornecedora também de estruturas metálicas para o segmento de energia solar no país.

Sobre o novo produto para a área da construção civil, a tecnologia – muito conhecida por aplicações na indústria automobilística, foi repensada para a aplicação na área da engenharia civil por ser resistente à corrosão, ideal para a fabricação de portas e janelas ou esquadrias.

O especialista em produto da Usiminas, Carlos Carvalhido, explica que, nos últimos anos, o interesse pelo material cresceu e iniciou-se uma tendência de migração dos aços laminados a frio não revestidos para os galvanizados, em razão da maior resistência à corrosão.

Já, por meio da Soluções Usiminas – empresa do grupo dedicada ao beneficiamento e distribuição do aço produzido pela siderúrgica, a iniciou-se a fabricação de perfis e tubos galvanizados para aplicações fotovoltaicas. A empresa é responsável pelo fornecimento dos kits de movimentação e suporte dos rastreadores solares (trackers) instalados no primeiro parque solar do Brasil, localizado no interior da Bahia.

Para Ascanio Merrighi, diretor executivo da Soluções Usiminas, a entrada nesse segmento abre novas possibilidades de negócios para a companhia.

“Concorremos com um produto diferenciado, que nos posiciona mais à frente na cadeia de valor da siderurgia. Trata-se de um caminho inevitável e é essa diferenciação que deverá ser nosso foco em vários negócios”, afirma o diretor.

Segundo divulgado pela Usiminas, a energia solar passou a integrar o core business da empresa por se tratar de um mercado com grande potencial de crescimento no Brasil e que pode levar o país, caso sejam feitos os investimentos necessários no setor, a estar entre os maiores geradores desse tipo de energia do mundo. Dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) mostram que o Brasil chegou em dezembro de 2016 aos 10 mil painéis solares de micro geração de energia, um crescimento de 50% em seis meses. No total, eles produzem 112 megawatts.

A linha de produtos voltados ao mercado de energia solar pela companhia contempla tubos e perfis de aço galvanizados, desenvolvidos a partir de materiais produzidos na Usina de Ipatinga (MG). “Estamos diversificando nossa atuação e contribuindo para ampliar a produção de energia sustentável no país. Esse é um grande estímulo ao nosso negócio e uma oportunidade de desenvolver soluções para empresas de diferentes segmentos”, finaliza o Hector Aguilera, diretor comercial da Soluções Usiminas.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui