Entidades demonstram preocupação com eventual não continuidade da agenda política da área mineral conduzida por Temer

Os recentes eventos da política brasileira, com denúncias contra o presidente Michel Temer, têm deixado o mercado de mineração ainda mais preocupado, frente às incertezas sobre a continuidade da agenda política adotada pelo atual governo, especialmente na área mineral, em que importantes reformas e projetos estão em andamento.

Nessa semana, após as oscilações na bolsa de valores e impactos em grandes mineradoras, e depois da confirmação da permanência de Fernando Coelho Junior à frente do Ministério de Minas e Energia, a Associação Brasileira de Pesquisa Mineral (ABPM) e a Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais (Abirochas) divulgaram uma nota demonstrando preocupação sobre a possível interrupção da agenda de reformas conduzidas pelo Governo e pelo Congresso, caso o presidente venha a ser afastado.

De acordo com as duas instituições, as reformas são essenciais para a superação da crise de natureza econômica e “se destinam a restabelecer a confiança no setor, desestabilizado há mais de 5 anos por medidas inadequadas encaminhadas por governos anteriores, potencializadas pela queda nos preços dos bens minerais”.

Conforme defende as entidades, as medidas que vem sendo planejadas para o setor mineral são uma solução indispensável para trazer segurança jurídica e restabelecer os investimentos na mineração, atualmente responsável por 25% dos resultados da balança comercial brasileira.

“Assim, as entidades subscritoras deste manifesto, participantes do setor mineral, alinham-se às manifestações dos diversos segmentos da economia nacional em favor das reformas”, finaliza a nota.

Confira a nota na íntegra:

As entidades do setor mineral, signatárias deste documento, vêm a público manifestar sua confiança nas instituições públicas brasileiras para a superação da grave crise política em curso no país. Registra também sua preocupação quanto à possível interrupção da agenda de reformas que vêm sendo conduzidas pelo Governo e pelo Congresso, essenciais para a superação de uma crise maior, esta de natureza econômica.

Neste sentido, encontra-se em curso um conjunto de reformas concebidas no Ministério de Minas de Energia, que se destinam a restabelecer a confiança no setor, desestabilizado há mais de 5 anos por medidas inadequadas encaminhadas por governos anteriores, potencializadas pela queda nos preços dos bens minerais.

O setor mineral, e em particular nossa entidade, participou ativamente da formulação destas novas medidas junto a Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação- SGM do Ministro de Minas e Energia – MME, junto inclusive ao próprio MME e apóia sua imediata implementação como uma solução indispensável para trazer segurança jurídica e restabelecer os investimentos na mineração, atualmente responsável por 25% dos resultados da balança comercial brasileira.

Assim, as entidades subscritoras deste manifesto, participantes do setor mineral, alinham-se às manifestações dos diversos segmentos da economia nacional em favor das reformas. Manifestando assim sua confiança no trabalho que vem sendo desenvolvido pelo MME, e espera que, apesar das turbulências, as medidas em curso sejam encaminhadas rapidamente ao Congresso Nacional, que certamente adotará uma posição republicana e as aprovará sem demora, como convém ao país.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui