A descoberta conclui a fase de pesquisas iniciais do Projeto Diamante Riachão.

A empresa canadense Five Star Diamonds anunciou a conclusão da fase de pesquisas do chamado ‘Projeto Diamante Riachão’. A companhia descobriu no local do projeto, que ocupa uma área total de 1.278,13 hectares no estado do Piauí, uma grande tubulação de kimberlito.

O tubo de kimberlito encontrado no Projeto Riachão tem aproximadamente 24 ha, o que comparado com uma escala global é consideravelmente grande, sendo o maior tubo de kimberlita que a empresa identificou até hoje entre os 23 projetos de diamantes no Brasil.

No mesmo projeto, foram concluídos recentemente um levantamento magnético detalhado do solo e um mapeamento de reconhecimento de superfície. Os afloramentos de kimberlito resistidos na superfície e duas amostras de mini granéis de 100kg estão agora sendo coletados e preparados para fusão cáustica e análise de micro diamante.

O programa magnético terrestre foi composto por 44,1 quilômetros lineares de linhas pesquisadas com espaçamento de 10 m entre cada linha e leituras constantes ao longo das linhas. Uma área total de 42,81 ha foi coberta pela pesquisa.

Como parte do programa magnético terrestre foi também completado um projeto de reconhecimento geológico inicial. Uma amostra de 40 kg de mini granel foi recolhida a partir de afloramentos superficiais em kimberlite. Essa amostra foi desagregada e lavada para produzir um concentrado mineral pesado para análise por meio do chamado Indicador de Metais Kimberlíticos (KIM).

Os resultados da análise de KIM do concentrado gerado a partir da amostra de 40 kg foram, segundo a empresa, altamente encorajadores com abundância de minerais kimberlíticos, incluindo granada e Ilmenita.

Atualmente, a Five Star está coletando duas amostras de 100 kg de amostras a granel de dois locais de afloramento de kimberlito, encontrados à aproximadamente 100 metros de distância dentro do Kimberlito Riachão.

Este será apenas o primeiro teste a ser realizado no tubo, pois sua extensão é grande e serão necessárias perfurações mais abrangentes e um programa de amostragem em massa. De acordo com a empresa, a descoberta do tubo kimberlítico estimula a companhia a prosseguir com os projetos no território brasileiro e a investir na produção de diamantes no país.

Outros projetos da empresa

No começo do mês, a Five Star Diamonds confirmou também a existência de diamantes exploráveis no projeto Diamante Veríssimo. Descoberto em 2005 e adquirido pela companhia canadense, em 2015, o projeto contava com dois possíveis depósitos, confirmados posteriormente como pipes (tubos) de kimberlito, os chamados de V1 e V2. Enquanto o primeiro já apresentou resultados positivos, o segundo passa agora por testes.

O Projeto Diamante Verissimo está localizado na região sudeste do estado de Goiás, e a cerca de 80 quilômetros ao nordeste do Projeto de Diamante de Cinco Estrelas Diamante Catalão. O Projeto Verissimo compreende sete propriedades minerais, totalizando 12.402,99 hectares.

As amostras dos pipes foram processadas utilizando-se a planta piloto do projeto Catalão. “Os diamantes recuperados na V1 Tubos de kimberlito são brancos e de alta qualidade”, declarou a companhia em um comunicado.

Já as amostras do V2 ainda estão sendo coletadas e preparadas para análise de fusão cáustica e contagem de microdiamônios. Também está sendo feita as amostragens de sondagem e de indicadores de kimberlito. Nesse pipe, após sondagens iniciais, diamantes do tipo granada vermelho escuro e Cr-diopsides foram recuperados e classificados como os principais minerais indicadores de kimberlito.

A Companhia planeja realizar, nos próximos meses, a exploração com fusão cáustica e análise de microdiamante para iniciar em amostras de broca de kimberlitos V1 e V2. Além disso, dará sequência na avaliação os alvos (V3 a V10) com perfuração de sondagem, trincheira e amostragem de empréstimo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui