Além da licença para utilização da cava de Alegria Sul, a mineradora precisa do Licenciamento Operacional Corretivo (LOC) das estruturas existentes no complexo de Germano, em Mariana.

Em entrevista ao Grupo Estado, a Samarco descartou o retorno das atividades em 2017. A companhia aguarda a liberação da licença ambiental pelos órgãos ambientais para o uso da cava de Alegria Sul como depósito de rejeitos. Após o licenciamento, segundo informado pela mineradora, seriam iniciadas obras na estrutura com prazo de finalização de até seis meses, tornando inviável a retomada das atividades ainda este ano.

Além da licença para utilização da cava de Alegria Sul, a mineradora precisa do Licenciamento Operacional Corretivo (LOC) das estruturas existentes no complexo de Germano, em Mariana, para qual são necessárias cartas de conformidade das cidades impactadas pela operação.

Dessas, Mariana, Ouro Preto, Catas Altas e Matipó já disponibilizaram o aval positivo, enquanto o munícipio de Santa Bárbara emitiu uma carta de não conformidade às operações de retirada de água na cidade, impossibilitando a aquisição da documentação necessária para seguir com licenciamento corretivo das estruturas existentes no complexo de Germano.

Sem a liberação de Santa Bárbara, a empresa precisaria encontrar, ainda, outra solução para captação de água necessária à produção.

Enquanto suas atividades não voltam, a Samarco tem criado uma série de estratégias para conseguir manter parte dos colaboradores: a Licença remunerada, entre 10 e 29 de novembro de 2015; Férias coletivas, de 30 de novembro a 29 de dezembro de 15; 2º período de Licença remunerada, entre 4 e 10 de janeiro de 2016, e os dois períodos de layoff, sendo um de 25 de janeiro a 25 de junho de 2016; e o atual período de Layoff, de 1 de junho a 31 de outubro de 2017.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui