Carvão mineral poderá ter plano nacional de consumo

0
2829
O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, o governador José Ivo Sartori, o secretário estadual de Minas e Energia, Artur Lemos Júnior em visita à mineração a céu aberto do Baixo Jacuí e as instalações da Copelmi Mineração - Foto: Daniela Barcellos / Palácio Piratini.

Em visita ao Rio Grande do Sul, ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, informou ainda que mineral poderá ser incluído no próximo leilão, marcado para o fim de 2017.

Durante uma visita à mineração a céu aberto do Baixo Jacuí e às instalações da Copelmi Mineração, em Butiá, no Rio Grande do Sul, na segunda, 24, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, ao lado do governador do Estado José Ivo Sartori, informou que o ministério considera analisar o potencial de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul na expansão energética brasileira.

“Posso considerar o potencial desses dois estados, que concentram aproximadamente 90% do carvão mineral do Brasil, na expansão da matriz energética brasileira”, disse o ministro. Antes de passar por Butiá, a comitiva de Coelho Filho esteve em Santa Catarina, na cidade de Criciúma.

Conforme o ministro, durante a visita ao Rio Grande do Sul, “a ideia é elaborar, assim como o Estado está fazendo, um planejamento com começo, meio e fim da utilização do carvão mineral, do ponto de vista do fornecimento energético, e enviar ao congresso”.

Coelho Filho falou ainda da possibilidade de inclusão do carvão mineral nos próximos leilões, ainda este ano. Um novo grupo de trabalho deve ser aberto com diversas áreas afins, para estudar questões relacionadas ao próximo leilão, que deverá acontecer em novembro ou dezembro. “Se tivermos tempo hábil queremos incluir. Não sei se vai ser no volume que todos esperam, mas queremos fazer um leilão contemplando o maior número de fontes possíveis ainda este ano”, destacou.

Mineração no Rio Grande do Sul

O Rio Grande do Sul tem realizado uma série de ações para fortalecer a mineração estadual, desde 2016, quando foi lançado o plano de energia do Estado. No mês de junho, conforme informado pela Revista Mineração, uma comitiva esteve em missão oficial ao Japão em busca de informações e apoio tecnológico para a exploração sustentável do carvão.

Foram realizadas reuniões com a Usina Hitashinaka Power Plant, em Tokai-Mura (Ibaraki), e ainda com executivos da Copelmi e das empresas PWC Advisory LLC, Tokyo Eletric Power Company Holdinfs e IHI Corporation.

Um estudo de viabilidade para a construção de uma usina térmica de carvão de alta eficiência para geração de energia nos moldes japoneses já está pronto, segundo o governo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui