Norsk Hydro assina termo com Ferrovia Paraense

0
4289
Representante da Norsk Hydro acredita que ferrovia será uma solução para o setor minerário - Foto: Rodolfo Oliveira/Agência Pará

Modal irá cruzar 23 municípios paraenses, e terá capacidade de carga de até 170 milhões de toneladas por ano.

O Governo do Estado do Pará, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), firmou um Termo de Compromisso com a empresa norueguesa Norsk Hydro, estabelecendo todas as condições referentes à contratação de carga do grupo num volume de 5 milhões de toneladas/ano pela Ferrovia Paraense.

A assinatura ocorreu no dia 18, sexta-feira, durante uma audiência pública com a presença do governador do estado do Pará, Simão Jatene, e de representantes da companhia norueguesa especializada em produtos de alumínio. O compromisso envolve precisamente a Mineração Paragominas S.A (MPSA), uma das empresas da Hydro.

“Esse projeto é a estratégia correta de integração do estado para que se possa produzir com menor custo, enfrentando o que se chama de custo amazônico, e nos colocar competitivo numa economia global”, afirmou o governador Simão Jatene.

Conforme o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Adnan Demachki, “a secretaria segue fechando a garantia firme de transporte de cargas, fundamentais para convencer investidores a participar do processo licitatório”, comentou.

A audiência também contou com a presença do presidente da Federação das Indústrias do Pará, José Conrado, do deputado estadual Sidney Rosa, do presidente do Sindicato Rural de Paragominas, Murilo Zancaner e de Sílvio Porto, vice-presidente executivo da Bauxita e Alumina Norsk Hydro.

O executivo da Norsk Hydro, Sílvio Porto, afirmou que o grupo tem convicção de que a ferrovia seja a solução logística para o segmento minerário.

“Acreditamos nesse projeto e assim que ele entrar em operação todos sairão ganhando. O Pará se tornará competitivo em nível mundial”, destacou Porto.

A Ferrovia Paraense terá 1.312 quilômetros, conectando-se à Ferrovia Norte-Sul e chegando ao Porto de Barcarena, que no Brasil é o mais próximo dos grandes mercados consumidores, como China, Europa e Estados Unidos. A ferrovia irá cruzar por 23 municípios paraenses, e terá capacidade de carga de até 170 milhões de toneladas/ano.

A interligação da Ferrovia Paraense com a Norte-Sul, num trajeto de apenas 58 quilômetros entre Rondon do Pará e Açailândia (MA) abre caminho para uma nova alternativa de escoamento de carga em um porto paraense, o que é, de acordo com o governo do Pará, um dos atrativos do projeto para a iniciativa privada.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui