Tempo de transformações

0
1138

Quem acompanha o cenário político e econômico do país e se interessa pela atividade mineradora, por certo tem a nítida impressão de que, em um futuro não muito distante, o setor mineral brasileiro não seja mais o mesmo. Neste sentido, a 34ª edição da Mineração & Sustentabilidade vem para dar ares de certeza a esta constatação ao contextualizar e analisar como as recentes medidas da União vão impactar diretamente a atividade mineradora. O governo acredita que elas possam ajudar a reaquecer a economia do país.

Em uma dinâmica cíclica, na qual boa parte das reportagens estabelece diálogo, a edição que o leitor tem em mãos apresenta as alterações nas Medidas Provisórias da Mineração. Tais mudanças incluem o aumento da tributação às empresas por meio da reformulação da legislação referente à Compensação Financeira pela Exploração dos Recursos Minerais (Cfem); a alteração do Código da Mineração; e a extinção do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) para a criação da Agência Nacional de Mineração (ANM), esta com aspecto destacadamente técnico.

Entre elogios e críticas severas estão medidas como o anúncio da reformulação das diretrizes que dão conta da cessão de áreas voltadas à pesquisa e exploração mineral, ação anunciada pelo governo, por meio do Ministério de Minas e Energia. Uma das reportagens disseca as estratégias da União para dar celeridade a esses processos e tornar o território nacional convidativo para empresas e investidores internacionais e estrangeiros.

A Mineração & Sustentabilidade apresenta ainda, como grande destaque desta edição, um panorama do que poderá ser visto na maior vitrine da indústria mineral na América Latina: a Exposição Internacional de Mineração (Exposibram). Ela chega à sua 17ª feira, promovida paralelamente ao Congresso Brasileiro de Mineração. Além de trazer análises sobre o cenário político-econômico do país, a exposição apresentará soluções, tecnologias e práticas inovadoras para o setor. A expectativa é que mais de 500 expositores participem do evento, que deve atrair um público estimado em 50 mil pessoas em quatro dias.

Sem se eximir do compromisso social e ambiental, a revista relembra os dois anos do maior desastre ambiental do Brasil, o rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana. Por um lado, o texto revela como a Samarco tem se articulado para retomar suas atividades, que uma vez paradas levam a uma nova tragédia: o enfraquecimento da economia local. Por outro, a reportagem mostra como o evento tem servido de aprendizado e incentivo às boas práticas.

Do cuidado com a natureza à arte, a Mineração & Sustentabilidade ainda destaca o Projeto Imerys Cultura e Sustentabilidade, ação que promove a consciência ambiental por meio da educação artística e do lazer nas comunidades de Barcarena e Ipixuna do Pará, na Região Nordeste paraense.

Informe-se e aprecie cada matéria.

A todos, uma boa leitura!

Leia a Edição 34 da Revista Mineração & Sustentabilidade (Clique aqui).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui